terça-feira, 24 de novembro de 2015

REFLEXÕES

AMBIENTE ÍNTIMO
Asseverou Jesus a Bartolomeu “tende bom ânimo”, aconselhando a uma nobre postura que o espírito humano pode ter em relação à própria vida.
Pode-se enfrentar muita coisa neste mundo, mas o maior enfrentamento é o íntimo, onde a criatura encontra-se consigo mesma e vê-se como é. Mesmo que todos a reconheçam como valorosa e nobre, se ela não o for verdadeiramente nos seus sentimentos, nenhum sentido fará as honras que lhe prestem.
Certa feita, uma dessas pessoas muito queridas na sociedade nos disse, para nossa surpresa, que se sentia como se houvera despencado e estivesse em queda livre num despenhadeiro, e não importava o que fizesse não podia deter o voo descendente.
Por isso, é prudente observar o que se está armazenando no coração, pois é possível lidar-se bem com uma coisa sem aceita-la, administrar problemas sem compreendê-los, e isto pouca valia terá. Como na vida tudo tem um sentido, especialmente o da educação dos sentimentos do homem, as suas provas serão sempre para atender a um programa de melhoria espiritual, escolhidas antes do seu mergulho no corpo físico, que precisa ser aceito de bom grado.
Existem criaturas outras que se vangloriam de colecionar amarguras e falam pesarosamente sobre elas. Outras orgulham-se dos seus ressentimentos, das suas insatisfações em relação à própria vida e às pessoas, tornando-se “persona non grata” para os que lhes ouvem os insistentes desabafos, como discos furados sem solução de continuidade.
Provavelmente quem guarda lixos emocionais muito bem justificados pelo orgulho, agasalha serpentes sob o cobertor para lhe picar. Com o tempo, cansada e envenenada pela luta revoltada da vida, a pessoa se torna triste e sem brilho, desdenhando a sua e a vida de todos, transformando-se em faladores inveterados sem noção do que dizem ou críticos de tudo, pelo simples prazer de lançar azedume, porque não veem na vida qualquer sentido.
Compreendemos que a melhor escolha é a de cultivar um ambiente íntimo de alegria e esperança. Ser o mais consciente e pacifico possível, aceitar sem revolta e fazendo o melhor que se possa para solucionar tudo o que lhe diga respeito.
ILUMINEMOS NOSSOS AMBIENTES ÍNTIMOS COM A LUZ QUE "ELE" PROPÔS, A DO AMOR.
Autor: Adelvair David  - publicado no jornal Folha Noroeste da cidade de Jales,SP.

Nenhum comentário: