Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2015

REFLEXÕES

Imagem
AMBIENTE ÍNTIMO Asseverou Jesus a Bartolomeu “tende bom ânimo”, aconselhando a uma nobre postura que o espírito humano pode ter em relação à própria vida. Pode-se enfrentar muita coisa neste mundo, mas o maior enfrentamento é o íntimo, onde a criatura encontra-se consigo mesma e vê-se como é. Mesmo que todos a reconheçam como valorosa e nobre, se ela não o for verdadeiramente nos seus sentimentos, nenhum sentido fará as honras que lhe prestem. Certa feita, uma dessas pessoas muito queridas na sociedade nos disse, para nossa surpresa, que se sentia como se houvera despencado e estivesse em queda livre num despenhadeiro, e não importava o que fizesse não podia deter o voo descendente. Por isso, é prudente observar o que se está armazenando no coração, pois é possível lidar-se bem com uma coisa sem aceita-la, administrar problemas sem compreendê-los, e isto pouca valia terá. Como na vida tudo tem um sentido, especialmente o da educação dos sentimentos do homem, as suas provas serão sempre pa…

DIVALDO FRANCO

PALAVRA DO PRESIDENTE DA FEB (Federação Espírita Brasileira)

REFLEXÕES

Imagem
DESAFIOS OU ESFORÇOS? Muito se fala em desafios nestes tempos atuais. É bom meditar-se a respeito. A maquinaria emocional humana, tem como pressuposto reagir aos estímulos da forma como os entende. Os desafios propriamente falando, seriam os impositivos oferecidos pela vida, situações que surgem sem que nada se tenha feito para adquiri-los, situações que aparecem inusitadamente e que mexem com os sentimentos provocando um necessário posicionamento. Muita vez, e isto não é tão incomum assim, o que o homem chama de desafio nada mais é do que situações ou emoções que lhe surgem na ordem normal das coisas e que a sua falta de estrutura emocional, material e espiritual faz com que não esteja tão disposto assim em solucioná-los, havendo uma tendência natural em a natureza humana de se buscar o que é o mais cômodo, mais tranquilo e menos dispendioso em todos os sentidos para não se sair de certa zona de conforto, até certo ponto, não tendo de fazer nenhum esforço. Assim, no cumprimento do dever …