REFLEXÕES

ENTRE OUTROS
A capacidade de observar é diferente da de ver, afinal, asseverou o Mestre Venerando: “Que vejam aqueles que tiverem olhos de ver”...
Entre muitos com quem o homem tem contato poucos são os que lhe prendem a atenção, fixando-se sempre no móvel dos seus interesses. No transito natural da existência a vida o convidará sempre às experiências emocionais de toda ordem com muitas criaturas.
Entre vários experimentos a que o homem está sujeito, o mais espetacular é o do sentimento. Convidado pela vida a procurar o semelhante para conviver, encontrará uma gama infinita de desafios que lhe movimentará a capacidade de sentir, fazendo-lhe brotar das fibras mais profundas da alma o que desconhece de si mesmo, surpreendendo e surpreendendo-se, nas ações do bem e do mal.
Entre outros, para o aprendizado das suas percepções, deve atentar que os mais necessitados de atenção não são somente os carentes de pão, de moeda e de agasalho, são ainda os que agridem, os que mentem, os que enganam, os grosseiros, os prepotentes, os iludidos, pois estes estão inconscientes dos valores reais da vida. Estes aguardam mãos estendidas e olhos aguçados que lhes possam entender os pedidos de socorro. Querem amar, mas ainda não sabem como, agarram-se às únicas coisas que conhecem, suas paixões, servindo-as como escravos a um senhor impiedoso. O resultado é o desconforto contínuo e por falta de vontade real para se libertarem, procuram chamar a atenção expondo suas carências.
Por isso, é urgente a necessidade de a criatura humana buscar as realizações verdadeiras nas tarefas do “bem”, abrindo mão dos seus interesses imediatistas. Assim, ganhará claridades para os olhos da alma, possibilitando-lhe visualizar os seus irmãos além das manifestações exteriores, amparando-os sempre, sem exigências ou compensações, a fim de que o amor possa fazer o seu trabalho diluindo suavemente a superfície cascuda até que o brilho da gentileza, da doçura, da alegria, da bondade possa aparecer, tranzendo-lhe satisfação e paz.

O FOCO FELIZ DA VIDA SERÁ SEMPRE O DE ESCOLHER AMAR INCONDICIONALMENTE.
Autor: Adelvair David - Publicado no jornal Folha Noroeste

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

REFLEXÕES

REFLEXÕES