sábado, 8 de agosto de 2015

REFLEXÕES

A RETAGUARDA
É preciso coragem para mudar.
O jovem da parábola contada por Jesus, o filho pródigo, fugiu da casa do pai porque achava que tudo estava ruim e, tendo gastado o que possuía, observando que até os porcos tinham mais dignidade que ele, resolveu sair da “retaguarda” onde se encontrava e marchar na direção da casa do pai, onde teria novamente os benefícios e o amor que sempre teve.
Esta atitude, embora tenha sido forjada no sofrimento, é a mais prudente de se tomar, logo que se identifique o comportamento indevido perante a própria vida.
O homem gasta os tesouros da saúde, da inteligência e do sentimento, lamenta-se e deseja fugir aos desafios propostos pela vida para a sua iluminação. Acredita que Deus se enganou ou não se importa com ele, então se revolta e não tendo vontade de resistir às tendências inferiores da sua alma, deixa-se conduzir aos vícios e outros comportamentos nada recomendáveis moralmente falando, programando futuras consequências nos ambientes deteriorados da própria alma, experimentando desinteresse por tudo e por todos.
Há pouco tempo uma amiga lamentou-se dizendo que estava preocupada e com muito medo, pois era fumante e temia que a qualquer momento pudesse receber uma notícia não muito agradável dos médicos que já lhe haviam alertado para deixar de fumar.
É necessário deixar a retaguarda voluntária e caminhar na direção da casa do pai, que é a atitude de assumir os deveres da existência junto à família, o trabalho e o semelhante em qualquer grau. Também da religiosidade, oportunidade maior de treinar a caridade que lhe aquietará os anseios inferiores despertando os superiores, conduzindo-o a um ambiente íntimo de paz e realização, embora por fora possa estar experimentando alguma privação ou dificuldade.
Disse Jesus:  “...tinha-se perdido, e achou-se...”, o que significa que é melhor utilizarmos o livre arbítrio para fazermos nossas escolhas, achando por nossa decisão o caminho de volta, do que aguardar que nossa imprudência e inexperiência evolutiva nos conduza aos ambientes insalubres da dor, de onde será mais difícil retornar.
O IDEAL É SAIR DA RETAGUARDA, AGORA E SEMPRE NA DIREÇÃO DO PAI.

Autor: Adelvair David     

Nenhum comentário: