sábado, 31 de janeiro de 2015

REFLEXÕES

FAZE O MESMO
Vai tu e faze o mesmo”, orientou Jesus ao doutor da lei.
O mestre sabia que o bem estar do homem viria dos seus próprios sentimentos, por isso contou a parábola do “bom samaritano”. Ele pretendia apresentar àquele homem, conhecedor das leis, que se ele apenas se limitasse a observá-las pela ótica do formalismo habitual não cumpria o seu dever para com Deus, nem mesmo venceria o marasmo intimo em que vivia, decorrentes da falta de sentido para a própria vida.
É muito natural que, diante das dificuldades e desafios que a vida propõe, a criatura humana viva muito preocupada com os seus afazeres e preferências, pouco se preocupando com o que se passa na vida de outrem, até mesmo dos seus entes queridos, porém, Jesus exemplifica o contrário dizendo que aquele que usou de misericórdia para com o homem caído era o seu verdadeiro irmão.
Os espíritos venerandos responderam a Kardec que o “interesse pessoal” é um sinal característico da imperfeição. Toda a moral de Jesus é baseada na humildade e na caridade, no auxilio desinteressado ao semelhante, de onde virá o bem estar, a alegria, a verdadeira felicidade.
Ensinam ainda que, quando deixávamos o plano espiritual para o retorno ao corpo, não fizemos qualquer exigência, no entanto, aceitamos as condições oferecidas, não negociamos salários e nem títulos, ao contrário, nos comprometemos trabalhar pelo nosso aperfeiçoamento moral, auxiliando os outros. Somente assim, os sentimentos menos dignos irão sendo substituídos por outros melhores que nascem, proporcionando a tão sonhada alegria de viver, o prazer de conviver e a vontade de empreender ações generosas em favor da humanidade.
O egoísta proclama: - Eu mereço ser feliz. O homem amoroso diz: - Me esforçarei para fazer os outros felizes. Assim, sem dúvida alguma, se plenificará e ficará cheio de paz. Se tivermos qualquer dúvida, é só observarmos os homens bons da humanidade, no seio da religiosidade ou não, que promoveram o bem estar de muitos, possuindo quase nada de material, mas o coração cheio das riquezas do amor para dividir.
Fazer o que o Senhor nos aconselhou é acender luzes na própria caminhada, diminuindo as quedas.
APRENDER COM ELE PARA SER FELIZ!

Autor: Adelvair David