REFLEXÕES


CEGUEIRA ESPIRITUAL
A cegueira espiritual é mais cruel do que a cegueira do corpo, nos ensinam os espíritos venerandos.
Já dizia Jesus: “que vejam aqueles que tem olhos de ver”. Ele, o mestre e Senhor, conhecendo a natureza humana ensinou o verdadeiro sentido da vida e de como o homem deve olhar para a sua caminhada.
Quando cego espiritualmente o ser humano nega, blasfema, critica e aponta denegrindo aqueles que possuem uma proposta de vida moral melhor. Falta-lhe coragem para ser ético, amoroso e responsável.
Jesus sabia que todos os males do homem procedem do seu interior onde se encontram arraigados e enraizados os hábitos doentios, filhos diletos do orgulho, do egoísmo e da violência.
Pela cegueira do orgulho o homem coloca máscaras de ironia, tornando a sua convivência com os seus irmãos desagradável, porém, por não se conhecer, acostumado a representar, tomba diante dos menores enfrentamentos, muita vez, carecendo da ajuda até mesmo daqueles a quem desdenhou.
Cego de egoísmo ele quer viver o prazer imediato, sem se preocupar mesmo com a própria família, mergulhando depois em quadros íntimos de desinteresse pela vida, não raro, conduzindo-se para a autodestruição por diversas maneiras.
A violência contida ou exteriorizada é uma das cegueiras que atacam as delicadas nuanças do comportamento; através da grosseria, da irritação, do nervosismo, denunciam um estado de inquietude na alma do seu detentor. Haverá momento em que ela explodirá, podendo magoar, ferir ou até destruir, deixando resquícios difíceis de serem erradicados. É comum alguém dizer: Eu não queria ter dito isto... Eu não queria ter feito aquilo. É importante analisarmos que o querer é produto do cultivo íntimo, dos valores que se possui. A vivência de valores nobres reforma a alma e a livra de reações automáticas que destroem e plantam infelicidade.
Para livrar-se da cegueira espiritual é preciso viver como espírito não como corpos. É cultivar todo dia os bons hábitos, corrigindo os ruins, é orar, é manter a fé viva em Deus através da prática do bem.
Lembremos que na terra o amor é sacrificial. Para amar, o homem terá de se esforçar, lutar consigo mesmo para não iludir-se na própria cegueira. Disse Jesus aos fariseus: “Se fosseis cegos não teríeis pecado, mas como dizem que veem o pecado permanece em vós”.
Os pequenos insucessos fazem parte da caminhada, porém, perseverando na paciência, resignação e coragem o progresso moral vai se consolidando.
VER, SOMENTE COM JESUS.

Autor: Adelvair David    

Comentários

Anônimo disse…
Tudo aparenta ser tão simples, mas facil reivindicar quando precisamos mesmo é conceder. Enxergar o próximo como se fossemos nos, mas esbarramos sempre no orgulho. Ser simples já seria um grande progresso. Se aproximar de Deus se valendo dos ensinamentos de Jesus, mas nem isso sabemos fazer. Válido a tentativa de querer nos abrir os olhos ainda que muitos sejam os que relutem ignorando o endereço para consultarem a visão. Que Deus continue te iluminando e te mantenha sua sabedoria sempre pronta para auxiliar quem de ti precisar.

Postagens mais visitadas deste blog

REFLEXÕES

REFLEXÕES