RECORDANDO O CHICO

LINDOS CASOS DE CHICO XAVIER   
CASO 51 – INDISPENSÁVEL O Chico recebera um convite reiterado para assistir a uma solenidade que um Centro Espírita de determinado lugar, um pouco distante de Belo Horizonte, realizaria. A carta convite, assinada pelos diretores do Centro, contendo encômios à pessoa do médium, dizia que sua presença era indispensável... O Chico pensou muito naquele adjetivo, sentiu a preocupação dos irmãos distantes, ansiosos pela sua presença. Certamente iria realizar uma grande missão. E não relutou mais. Junto ao seu bondoso chefe, justificou sua ausência por dois dias, comprou passagem na Central do Brasil e partiu. No meio da viagem, quando já sonhava com a chegada, antes sentindo a alegria dos irmãos, Emmanuel lhe aparece e diz: — Então, você se julga indispensável e, por isto, rompeu todos os obstáculos e viaja assim como quem, por isto mesmo, vai realizar uma importante tarefa... Já refletiu, Chico, que o serviço do ganha pão é indispensável a você? Pense bem... O Chico pensou... E, na próxima estação, desceu do trem e tomou outro de volta... A lição foi compreendida. Seus irmãos de mais longe, com seu não comparecimento, compreenderam na também... 
Transcrito do livro “Lindos Casos de Chico Xavier” de Ramiro Gama. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

REFLEXÕES

REFLEXÕES