sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

REFLEXÕES

IDEAÇÕES
Fato interessante acontece nas expectativas que cria a humanidade em torno dos próprios passos.
Geralmente, o homem deseja as mais variadas situações nesta vida, porém, desenvolve pensamento mágico a respeito delas. Planeja, por exemplo, no casamento, as reações das outras pessoas envolvidas; cônjuges, filhos e parentes estão junto com os seus planos de realizações materiais. Estes não passam, muita vez, de peças bem encaixadas nas suas ideações e, com o passar do tempo se diz frustrado argumentando que a vida não lhe sorriu como desejava.
Desejava buscar na profissão o ideal amoedado de grande monta. Calcula meticulosamente os lucros e a sua ascensão para mais tarde perceber-se não tão bem materialmente como desejava. Embora tenha o suficiente, culpa o país ou as pessoas pelo que entende ser a sua limitada condição.
Planeja ter amizades fiéis, dóceis, dedicadas, amigos e irmãos que poderão atender-lhe nas horas difíceis, ou com eles vivenciar bons momentos para o seu deleite. Informa logo não os possuir. Atribui à “sorte” a relativa solidão que lhe marca as horas em determinado período existencial.
O que se pode compreender a princípio é que, não se transfere a ninguém o dever de fazer a outrem feliz; a felicidade se conquista no que se dá e não no que se recebe. Disse o Cristo de Deus: “ama o teu próximo”. Falando das questões da profissão, em qualquer posição em que se encontre o homem tem oportunidade de treinar o que veio fazer neste mundo, aprender a servir, afirmou Jesus: “se o desejares”. Quanto ao recurso material proveniente do trabalho, é natural e muito justo que se recolha, porém, este é apenas complemento e deve vir após o cumprimento do dever com responsabilidade e amor. É comum prender-se o homem ao que transitório em detrimento do que é eterno, assim invertendo a prioridade existencial. Aconselhou Jesus resolvendo esta questão: “tratai de juntar tesouros no céu”. Falava o Senhor do céu que está dentro de cada um. O homem também, para o seu conforto, não juntará amizades como o faz com as coisas. Amizade é sentimento que se constrói no próprio coração. É um campo de atração que se cria em si mesmo com o amor que se oferta aos seus demais, fazendo com que estes tenham vontade de permanecer na sua presença. Dessa forma é possível aceitar a todos como são atraindo-os para o reduto íntimo, convivendo com mais harmonia em todos os aspectos. Propõe o Mestre em análise: “que te importa os outros, segue-me tu”.
A criatura humana será sempre responsável pelas suas construções. Deverá ter objetividade e lucidez na lide com os seus desejos, de modo a não fantasiá-los. Compreenderá que é sempre responsável pelas ações que trouxe do ontem e das que empreenderá hoje, edificará para o agora e para o  amanhã o bem que não mais lhe faltará.
AS IDEAÇÕES NOBRES IMPULSIONAM O HOMEM PARA O PROGRESSO, CULTIVÁ-LAS É PROPOR A SI MESMO FELICIDADE.

Autor: Adelvair David 

Nenhum comentário: