REFLEXÕES

ALMA EM DESFILE
A vida física é uma caminhada temporária no mundo das formas.
Enquanto segue nas terras íntimas ainda não cultivadas, as plantações dos valores bons carecem de semeadura urgente. O mato espesso, os troncos rígidos, os espinhos do cipoal das dificuldades, são enfrentamentos que exigem mudanças comportamentais, quase sempre adiadas.
Neste andar desconfortável, porém cômodo para muitos, segue o homem sem prestar muita atenção na estrada, preocupando-se apenas como irá mostrar-se para o seu semelhante. Um grande número de criaturas vive de aparência, seja financeira, moral, espiritual ou intelectual. Desfilando por entre os seus irmãos carregam a dura e pesada armadura das imagens e conveniências, criadas a fim de serem mostradas nos diversos grupos onde convive.
Ensina-nos o espírito Emmanuel: “é preciso revisar as próprias tendências [...] para que não estejamos tateando na sombra”. A mesma sombra de que falou Carl Gustav Jung, os ambientes escuros da alma, responsáveis pelos tropeços e dissabores enfrentados que se traduzem através dos defeitos que poucos querem pensar a respeito, mas que são constantemente repetidos; manias que se prefere negar, transformando-se em válvulas de escape para as ansiedades e angústias decorrentes da maneira de se pensar, sentir e agir, porém; tudo em completo desalinho com as leis morais ensinadas pelo Cristo no seu abençoado evangelho.
No desfile da vida, todos estão expostos. Ao conviver o homem é notado, observado e analisado pelas muitas mentes nos dois planos da vida, o físico e o transcendente. Cada pessoa apresenta-se com a roupagem espiritual que lhe é própria, ofertando virtudes ou enganos; os humildes são notados por não ferir a suscetibilidade de ninguém, o orgulhoso pela prepotência que lhe marca a face; o homem bom pelas bênçãos que espalha e o maldoso pelo gosto amargo que deixa na alma de quem dele se aproxima.
Trazendo a responsabilidade de se melhorar, o homem faz propostas que deverão ser confirmadas pela moral íntima, nem sempre aquela que todo mundo vê. Os atos mais importantes não possuem testemunhos, são os que acontecem no coração, onde todas as decisões são tomadas, únicas que tem valor para o crescimento ou não do homem.
O bem, o respeito, a ternura, a caridade e o verdadeiro amor, um dia será transparente nas almas que desfilam neste mundo, e então teremos a concórdia e a paz reinando em toda a terra.
Pensemos, há muitas providências que necessitamos tomar para tornar mais verdadeira a nossa caminhada, deixando para trás as encenações sem a preocupação com o que os outros vão achar, mas com um único desejo, o de sermos melhores e fazermos o melhor para os nossos irmãos.
DEVEMOS VIVENCIAR PARA COM OS OUTROS PRIMEIRO O BEM QUE BUSCAMOS CONCRETIZAR EM NÓS.

Autor: Adelvair David      

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

REFLEXÕES

REFLEXÕES