terça-feira, 19 de março de 2013

REFLEXÕES


A ÚNICA COISA
A única coisa que Jesus objetivou com os seus ensinamentos foi que aprendêssemos a nos amar.
Neste sentido, exemplificando, há na prática usual do perdão um dos maiores antídotos contra os males causados pela falta do amor, sendo este, o expoente de todas as conquistas que alguém poderá fazer neste mundo de imperfeitos.
O perdão é um ato de auto misericórdia. Quem sabe ser indulgente para com as falhas alheias melhora a relação para consigo mesmo no processo de crescimento. Compreendendo o semelhante aprende a lidar com as próprias falhas morais; respeitando todas as convicções e sentimentos dos outros, passará então vigiar-se para não permitir-se realizar com facilidade ações que desrespeite a sua própria moral; tolerando, experimentará mais conforto quando cair e desejar levantar-se, concedendo-se então nova oportunidade.
Acreditando-se superior aos seus irmãos, o homem permite que as duas maiores chagas da humanidade, o egoísmo e o orgulho tomem conta da sua vida. Elas são estimuladoras do desamor; são os corrosivos dos valores melhores da alma, propiciam o desenvolvimento do ódio, da mágoa e do ressentimento, trazendo consequências funestas àquele que os nutrem. Naturalmente a vida conduzirá sempre a alma odienta a experimentar dissabores expondo as suas fragilidades, a fim de que verifique a própria imperfeição, e não venha cobrar perfeição dos seus irmãos. Ensinou Jesus a Pedro: “[...] perdoa setenta vezes sete vezes”.
Através do amor ao próximo desenvolvemos nossas próprias potencialidades. É no espelho da alma do outro que nos vemos refletidos. Geralmente, ensina-nos a psicologia transpessoal, que nós temos uma tendência a ver nos outros, ressaltados, exatamente o que devemos mudar em nós. Se alguém tem uma deformidade que não lhe agrada fugirá do espelho que a pode revelar sempre. Não a vendo acredita que ela não existe.
Neste sentido, a única coisa a fazer é buscar por todos os meios possíveis desenvolver o amor. Pouco valorizado entre os orgulhosos, preterido entre a maioria dos egoístas e desconsiderado pelo que optou por cultuar a matéria, o amor continua sendo o sentimento maior e único a promover o homem à condição de filho Deus a caminho da própria felicidade.
A caridade é caminho, o sentimento por ela desenvolvido é valor eterno a compor a gama infinita de cores belas que alma terá; se assim não fosse, Jesus não a recomendaria: “tudo o que fizerdes ao menor dos meus irmãos, a mim que o fazeis”.
A ÚNICA COISA QUE IMPORTA É AMAR, POIS O AMOR É DE ESSÊNCIA DIVINA.
Autor: Adelvair David

Nenhum comentário: