OS MÉDIUNS - pelo espírito Joanna D´Arc

Estou satisfeita por ver-vos pontuais no encontro que vos marquei. A bondade de Deus estender-se-á sobre vós, e sempre nossos anjos da guarda vos ajudarão com seus conselhos e vos preservarão contra a influência dos maus Espíritos, se souberdes escutar sua voz e fechar o coração ao orgulho, à vaidade e à inveja.
Deus encarregou-me da missão de cumprir junto aos crentes que Ele favorece com o mediunato. Quanto mais graças receberem do Altíssimo, mais perigo correm. E esses perigos são tanto maiores, quanto nascem dos mesmos favores que Deus lhe concede.
As faculdades de que desfrutam os médiuns lhes atraem elogios dos homens: felicitações, adulação, eis o escolho. Esses mesmos médiuns, que deveriam ter sempre na memória a sua incapacidade primitiva a esquecem; fazem mais: o que só devem a Deus atribuem ao seu próprio mérito. Que acontece então? Os bons Espíritos os abandonam; não mais tendo bússola para orientá-los, tornam-se joguetes dos Espíritos enganadores. Quanto mais capazes, mais são levados a considerar sua faculdade um mérito, até que, enfim, para os punir, Deus lhes tira o dom que apenas lhes pode ser fatal.
Nunca seria demais lembrar que vos recomendeis ao vosso anjo da guarda, para que vos ajude a vos manter em guarda contra vosso mais cruel inimigo, que é o orgulho. Lembrai-vos de que, sem o apoio do vosso divino Mestre, vós, que tendes a felicidade de servir de intermediários entre os Espíritos e os homens, sereis punidos, tanto mais severamente quanto mais favorecidos, se não tiverdes aproveitado a luz.
Apraz-nos crer que esta comunicação, da qual dareis conhecimento à Sociedade, vos dará frutos, e que todos os médiuns que lá se acham reunidos manter-se-ão em guarda contra o escolho onde viriam quebrar-se. Esse escolho, já disse a todos, é o orgulho.
REVISTA ESPÍRITA –MAIO DE 1860 – ANO III Nº 5

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

REFLEXÕES

REFLEXÕES