segunda-feira, 30 de abril de 2012

REFLEXÕES



HÁ LUZ NO CAMINHO

Depois da vinda de Jesus, o homem não pode mais lastimar não ter claridade suficiente para prosseguir na estrada existencial.

Já não há mais absoluta ignorância quanto ao entendimento dos muitos desafios e enfrentamentos  que  caminhada lhe impõe.

Ele, o Senhor, iluminou todos os níveis de entendimento possíveis e imagináveis da humanidade. Não há uma só criatura, em nenhuma faixa de conhecimento, mesmo entre os iletrados, que ao tomar contado com a Sua mensagem não consiga fazer uma idéia mais ou menos precisa do seu sentido.

É importante para a criatura meditar mais profundamente nos Seus ensinamentos. Acostumado a permanecer na periferia das coisas transcendentes, temendo a fatal necessidade de  mudar atitudes, grande parte dos homens visualizam o evangelho como sendo uma obra para admiração e não para vivência.

Por mais tenha se esforçado a filosofia, a psicologia e os vários seguimentos do pensamento humano, ninguém pôde ser mais claro e mais simples sem ser simplório; a objetividade é a verdadeira característica da mensagem, alcançando todos os departamentos da vida; embora muitos tenham colaborado com a liberação do homem dos seus pesares emocionais, somente Ele cura verdadeiramente as feridas da alma.

O mestre amorável estabeleceu um programa inconfundível para a felicidade e a conquista da paz imaculada. Basta que se observe os homens bons dos tempos idos e atuais. São eles os que possuem o coração cheio de mansidão e os lábios refertos de ternura, pronunciando e vivendo com verdadeira sabedoria. Acataram os Seus conselhos e se tornaram espelhos vivos oferecendo imagens consoladoras e esperançosas de vida, motivando tantos quantos desejam deixar o sofrimento e a enfermidade moral para traz.

Os ventos carregam por aí as palavras dos homens pessimistas e insensatos; dizem eles que, o cristão não é diferente daqueles que cometem desatinos comportamentais e que, de nenhuma forma, está mais preparado para a vida que aqueloutros. Isto não é absoluta realidade. Disse-nos o Cristo: “Conhecereis a verdade e ela vos libertará”. Tomar contato com algo nem sempre será possuí-lo. Há quem visualize uma vitrine sem nunca possuir o seu conteúdo. Somente após a interiorização e vivência da mensagem do Mestre divino é que esta se lhe torna uma verdade.

A liberdade vem com novos rumos, mudança de procedimentos, de sentimentos e pensamentos; o compromisso com o novo aprendizado pode permitir ao espírito ser livre. A prática da caridade é incontestável caminho que leva a novos sentimentos, principalmente os mais amorosos.

O respeito a si mesmo e aos outros é tarefa urgente e inadiável, conduzindo o ser a sua verdadeira felicidade.

Depois D´Ele, as trevas da ignorância desapareceram ante a luz inconfundível do Seu amor por todos nós.

Sigamos com Ele, pois há luz no caminho.
Autor: Adelvair David

domingo, 22 de abril de 2012

JANTAR BENEFICENTE

CAROS AMIGOS E IRMÃOS
Convidamos a todos para um Jantar no Grupo Espírita Beneficente Maria Dolores
Será neste sábado dia 28 de abril de 2012, das 20 as 22 horas
Endereço: Rua 19, nº 768, Bairro São Judas Tadeu, Jales-SP
VENHA DESGRUTAR DE BOA COMIDA E AGRADÁVEL MOMENTO PARA CONVERSAR
SEJA BEM VINDO
informações: fone 17- 3932.9983 (Jane) ou pelo e-mail: addavid@ig.com.br 
(se desejar reserve seu convite e retire no local)

terça-feira, 17 de abril de 2012

REFLEXÕES



ASTÚCIA

De muitas coisas se vangloria a criatura humana; dentre elas, a de se sair bem em qualquer empreitada, mesmo que a qualquer custo.

Muitos alegam que sem astúcia não se pode vencer na vida ou chegar onde se quer; para isto, vale qualquer atitude;

Seria notório o mérito, se na cesta de tal comportamento não houvesse uma serpente venenosa, pronta a picar quem lhe desvelar; neste recipiente íntimo mora a pseudo verdade, pronta a destruir sem se importar a quem.

O que a pessoa movida por esta “síndrome da esperteza aguda” faz, não é algo nobre; o hábito não passa de ardil, de teia para prender os crédulos que tombam vitimados por ela. Estes intencionam resolver o “seu lado”, como costumam dizer; não estão preocupadas com a ética e a moral porque desejam viver o momento antes que ele acabe e precisam se dar bem.

O homem dotado de tal mazela, trai, mente, bajula, ilude iludindo-se, acredita-se ditoso pelos seus feitos e conquistas imorais. Melhor seria que o pior em termos de resultado lhe acontecesse, pois se assim não for, o “depois” será enfrentamento insuportável. Dia chega em que a astúcia é desmascarada trazendo ao seu detentor o sofrimento espiritual, regado ao azeite do remorso; o reencontro com as vibrações de quem prejudicou traz-lhe insuportáveis aflições, em decorrência da mágoa dos corações desrespeitados e feridos. Ficando exposto, o astucioso é relegado a plano secundário; sem mais notoriedade é rebaixado e esquecido, ou sofre desmoralização pública. Nada lhe será pior do que o desmascaramento consciencial, quando frente a frente, aqui ou no além, vai deparar-se consigo mesmo; experimentará o gosto dos seus próprios sentimentos, provando do que fez os outros sofrerem. Em vão vai tentar persuadir-se do contrário. Ensina-nos os espíritos venerandos que a consciência é juiz implacável e sentencia sem exagero, porém, sem engano, apresentando todas as razões para que se possa recomeçar em bases seguras e reais, não mais nos campos da ilusão e da auto mentira.

Ensina-nos a obra “O Céu e o Inferno” de Allan Kardec que, somente o arrependimento verdadeiro é o início da reconstrução íntima; ele é o refrigério temporário apontando o recomeço em novo corpo, em nova oportunidade não tão agradável, mas necessária para a edificação da real nobreza. É o amor de Deus proporcionando ao espírito tratar as próprias feridas, curando-se com o seu próprio trabalho, com a ajuda do criador. Ensinou-nos o Senhor e Mestre Jesus: “Tratai de juntar tesouros no céu [...]”, por isso, melhor viver com sabedoria e não com astúcia, enchendo o baú da consciência com os tesouros do amor para que os bons sentimentos nos dêem nova forma ao coração.

O ASTUCIOSO JUNTA SEM NUNCA POSSUIR, O AMANTE DA VERDADE DISTRIBUI PORQUE POSSUI TUDO.
Autor da Mensagem: Adelvair David

domingo, 15 de abril de 2012

ANENCEFALIA - Joanna de Angelis


Nada no Universo ocorre como fenômeno caótico, resultado de alguma desordem que nele predomine. O que parece casual, destrutivo, é sempre efeito de uma programação transcendente, que objetiva a ordem, a harmonia.
De igual maneira, nos destinos humanos sempre vige a Lei de Causa e Efeito, como responsável legítima por todas as ocorrências, por mais diversificadas apresentem-se.
O Espírito progride através das experiências que lhe facultam desenvolver o conhecimento intelectual enquanto lapida as impurezas morais primitivas, transformando-as em emoções relevantes e libertadoras.
Agindo sob o impacto das tendências que nele jazem, fruto que são de vivências anteriores, elabora, inconscientemente, o programa a que se deve submeter na sucessão do tempo futuro.
Harmonia emocional, equilíbrio mental, saúde orgânica ou o seu inverso, em forma de transtornos de vária denominação, fazem-se ocorrência natural dessa elaborada e transata proposta evolutiva.
Todos experimentam, inevitavelmente, as consequências dos seus pensamentos, que são responsáveis pelas suas manifestações verbais e realizações exteriores.
Sentindo, intimamente, a presença de Deus, a convivência social e as imposições educacionais, criam condicionamentos que, infelizmente, em incontáveis indivíduos dão lugar às dúvidas atrozes em torno da sua origem espiritual, da sua imortalidade.
Mesmo quando se vincula a alguma doutrina religiosa, com as exceções compreensíveis, o comportamento moral permanece materialista, utilitarista, atado às paixões defluentes do egotismo.
Não fosse assim, e decerto, muitos benefícios adviriam da convicção espiritual, que sempre define as condutas saudáveis, por constituírem motivos de elevação, defluentes do dever e da razão.
Na falta desse equilíbrio, adota-se atitude de rebeldia, quando não se encontra satisfeito com a sucessão dos acontecimentos tidos como frustrantes, perturbadores, infelizes...
Desequipado de conteúdos superiores que proporcionam a autoconfiança, o otimismo, a esperança, essa revolta, estimulada pelo primarismo que ainda jaz no ser, trabalhando em favor do egoísmo, sempre transfere a responsabilidade dos sofrimentos, dos insucessos momentâneos aos outros, às circunstâncias ditas aziagas, que consideram injustas e, dominados pelo desespero fogem através de mecanismos derrotistas e infelizes que mais o degrada, entre os quais o nefando suicídio.
Na imensa gama de instrumentos utilizados para o autocídio, o que é praticado por armas de fogo ou mediante quedas espetaculares de edifícios, de abismos, desarticula o cérebro físico e praticamente o aniquila...
Não ficariam aí, porém, os danos perpetrados, alcançando os delicados tecidos do corpo perispiritual, que se encarregará de compor os futuros aparelhos materiais para o prosseguimento da jornada de evolução.
É inevitável o renascimento daquele que assim buscou a extinção da vida, portando degenerescências físicas e mentais, particularmente a anencefalia.
Muitos desses assim considerados, no entanto, não são totalmente destituídos do órgão cerebral.
Há, desse modo, anencéfalos e anencéfalos.
Expressivo número de anencéfalos preserva o cérebro primitivo ou reptiliano, o diencéfalo e as raízes do núcleo neural que se vincula ao sistema nervoso central…
Necessitam viver no corpo, mesmo que a fatalidade da morte após o renascimento, reconduza-os ao mundo espiritual.
Interromper-lhes o desenvolvimento no útero materno é crime hediondo em relação à vida. Têm vida sim, embora em padrões diferentes dos considerados normais pelo conhecimento genético atual...
Não se tratam de coisas conduzidas interiormente pela mulher, mas de filhos, que não puderam concluir a formação orgânica total, pois que são resultado da concepção, da união do espermatozoide com o óvulo.
Faltou na gestante o ácido fólico, que se tornou responsável pela ocorrência terrível.
Sucede, porém, que a genitora igualmente não é vítima de injustiça divina ou da espúria Lei do Acaso, pois que foi corresponsável pelo suicídio daquele Espírito que agora a busca para juntos conseguirem o inadiável processo de reparação do crime, de recuperação da paz e do equilíbrio antes destruído.
Quando as legislações desvairam e descriminam o aborto do anencéfalo, facilitando a sua aplicação, a sociedade caminha, a passos largos, para a legitimação de todas as formas cruéis de abortamento.
... E quando a humanidade mata o feto, prepara-se para outros hediondos crimes que a cultura, a ética e a civilização já deveriam haver eliminado no vasto processo de crescimento intelecto-moral.
Todos os recentes governos ditatoriais e arbitrários iniciaram as suas dominações extravagantes e terríveis, tornando o aborto legal e culminando, na sucessão do tempo, com os campos de extermínio de vidas sob o açodar dos mórbidos preconceitos de raça, de etnia, de religião, de política, de sociedade...
A morbidez atinge, desse modo, o clímax, quando a vida é desvalorizada e o ser humano torna-se descartável.
As loucuras eugênicas, em busca de seres humanos perfeitos, respondem por crueldades inimagináveis, desde as crianças que eram assassinadas quando nasciam com qualquer tipo de imperfeição, não servindo para as guerras, na cultura espartana, como as que ainda são atiradas aos rios, por portarem deficiências, para morrer por afogamento, em algumas tribos primitivas.
Qual, porém, a diferença entre a atitude da civilização grega e o primarismo selvagem desses clãs e a moderna conduta em relação ao anencéfalo?
O processo de evolução, no entanto, é inevitável, e os criminosos legais de hoje, recomeçarão, no futuro, em novas experiências reencarnacionistas, sofrendo a frieza do comportamento, aprendendo através do sofrimento a respeitar a vida…
Compadece-te e ama o filhinho que se encontra no teu ventre, suplicando-te sem palavras a oportunidade de redimir-se.
Considera que se ele houvesse nascido bem formado e normal, apresentando depois algum problema de idiotia, de hebefrenia, de degenerescência, perdendo as funções intelectivas, motoras ou de outra natureza, como acontece amiúde, se também o matarias?
Se exercitares o aborto do anencéfalo hoje, amanhã pedirás também a eliminação legal do filhinho limitado, poupando-te o sofrimento como se alega no caso da anencefalia.
Aprende a viver dignamente agora, para que o teu seja um amanhã de bênçãos e de felicidade.

Joanna de Ângelis

Página psicografada pelo médium Divaldo Pereira Franco, na reunião mediúnica da noite de 11 de abril de 2012, quando o Supremo Tribunal de Justiça, estudava a questão do aborto do anencéfalo, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador, Bahia

sexta-feira, 13 de abril de 2012

PALESTRA ESPÍRITA

Temos o imenso prazer de convidá-lo para uma palestra com a oradora JULIETA MARQUES, de PORTUGAL, que estará em nossa casa no domingo próximo, dia 15 de abril, as 19h30min.
Local: GRUPO ESPÍRITA BENEFICENTE MARIA DOLORES
Endereço: Rua 19, nº 768, Bairro São Judas Tadeu, Jales-SP
Informações: Jane - 17-3632.9983
SEJAM TODOS BEM VINDOS AOS NOSSOS CORAÇÕES
VEJA:
Figura determinante do Movimento Espírita Português, dirigente por quase quatro décadas da única associação que sobreviveu à perseguição da ditadura fascista, fazedora de laços e de pontes entre este nosso país à beira-mar plantado e o Brasil, Julieta Marques já faz parte da História do Espiritismo em Portugal.
Vencendo as teimas da idade, aceita generosamente os convites que se multiplicam nos dois continentes para colóquios, congressos, palestras, workshops, programas de rádio. Tem sempre tempo para um chá amigo e larga tudo para um abraço de solidariedade.
Num dia de sol, recebeu-nos na Associação Espírita de Lagos e na conversa, muito bem-disposta, falou dos primeiros passos no Espiritismo no início da década de 60, de alguns episódios curiosos que ocorreram durante o Estado Novo, da generosidade das autarquias lacobrigenses para com as iniciativas espíritas, da relação que alguns procuram estabelecer entre Espiritismo e Política, das suas experiência no Brasil, dos livros para crianças que já publicou, da importância da música na casa espírita, da sua visão sobre o Movimento Espírito Português actual.
Frontal, segura, dinâmica, sensível. Feminina. Transvaza carisma, simpatia e luminosidade. Tão discreta quão determinada, possui um sorriso meigo e uma gargalhada contagiante de menina traquina.
Ninguém fica indiferente à presença de Julieta Marques, a espírita mais universal de Portugal.

sexta-feira, 6 de abril de 2012

ALCOOLISMO PODE ENCOLHER O CÉREBRO

Além da ação perniciosa do álcool sobre a natureza humana, abrindo caminhos para vinculações com situações nada gloriosas do passado de cada um, esta pesquisa mostra a limitação criada no cérebro, diminuindo as possibilidades de êxito para a realização das propostas para a atual existência.
Criando bloqueio físico para o seu campo de ação, o homem pode aumentar as chances de falências por não perceber, de maneira ideal, como deve se comportantar diante dos desafios da vida e também deixará de fazer outras tantas coisas que poderiam colaborar com o seu crescimento espiritual. veja:
 

Alcoolismo pode encolher o cérebro
Um estudo que será publicado em maio de 2012 em jornal americano revela que algumas regiões do cérebro podem encolher com o consumo excessivo de alcool.
por Samantha Cerquetani

Um estudo que será publicado em maio de 2012 no jornal americano Alcoholism: Clinical and Experimental Research revela que algumas regiões do cérebro podem encolher com o consumo excessivo de álcool. A experiência comprovou, por meio de ressonância magnética, que camundongos que bebiam diariamente uma solução de 20% de álcool durante seis meses sofreram atrofia cerebral. Isso ocorreu com os animais que não contavam com um tipo específico de receptor de dopamina (neurotransmissor). "O alcoolismo pode levar à atrofia cerebral, tanto do córtex cerebral como do cerebelo. Há uma diminuição da memória, redução do raciocínio e da capacidade de atenção e concentração", diz Antônio Galvão, neurologista do Hospital 9 de julho. Ao cessar o consumo de álcool, o volume cerebral poderá aumentar, mas geralmente nunca voltará ao normal. Para o coautor do estudo, Peter Thanos, a experiência contribui para um melhor entendimento do papel da variabilidade genética nos danos cerebrais provocados pelo alcoolismo. E futuramente será possível criar estratégias eficazes de prevenção e tratamento, uma vez que esse padrão de dano cerebral imita a patologia observada em alcoólatras humanos.
http://revistavivasaude.uol.com.br//saude-nutricao/108/alcoolismo-pode-encolher-o-cerebro-um-estudo-que-sera-255314-1.


terça-feira, 3 de abril de 2012

ACONTECEU

Neste domingo dia 1º de abril, a USE-JALES (união das sociedades espiritas intermunicipal de Jales) esteve reunida no Centro Espírita Chico Xavier, em Jales-SP, para comemoração do aniversario de Chico Xavier.
A atividade contou com a apresentação do Coral Infantil "Vozes do Coração", do Grupo Espírita Beneficente Maria Dolores de Jales e com uma palestra proferida pelo orador Carlos Alberto Braga Costa de Belo Horizonte, Minas Gerais, com o tema: "Chico Xavier, mais uma primavera de amor".
O evento contou com a participação de representantes das cidades da Região, que compareceram com muita alegria ao evento, se emocionando com a palestra emocinada do querido Carlos Alberto.