quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

ACONTECEU!


Aconteceu nestes dias de Carnaval, de 18 a 21 de fevereiro mais um Retiro  da Mocidade Espírita Ivan de Albuquerque da cidade de Jales, pertencente ao Grupo Espírita B. Maria Dolores.
Foi o 17º Evento desta Natureza, que se repetiu mais uma vez em clima de muita alegria e espiritualidade.
É uma forma de não só tirar o jovem do meio perigoso destes dias, mas de motivá-los a viverem como Cristãos e Espíritas.

Dentre muitas coisas lindas que aconteceram deixamos aqui registrado o poema da Ana Conceição para apreciação do coração de todos.
Por tantos caminhos andei
E muitas mazelas vivi
Nenhuma maneira encontrei
A fim de sanar o que sofri
Só há uma resposta que sei,
Que posso e devo ir além
Das sombras eu saio e vejo
Que minha resposta é o bem





PALESTRA ESPÍRITA


OLÁ CAROS AMIGOS E IRMÃOS
Convidamos a todos para estarem conosco neste domingo as 19h30min, no Grupo Espírita Beneficente Maria Dolores, para assistirmos a uma palestra com o querido orador JOSÉ MARIA MEDEIROS de São Paulo.
O nobre amigo já faz parte dos eleitos pelo nosso coração para participar de nossas vidas.
VENHA DESFRUTAR DE MOMENTOS DE MUITA REFLEXÃO E ALEGRIA
RECEBEMOS VOCÊ COM MUITO CARINHO
Endereço: Rua 19, nº 768, Bairro São Judas Tadeu - Jales,SP

MOMENTO COM JOANNA DE ANGELIS

 
Divaldo Franco                                                                                  Joanna de Angelis



Do notável trabalho de Divaldo Franco, o eminente orador baiano, que muito tem contribuido com a doutrina Espírita, destacamos a excelente obra de Joanna de Angelis, a psicoterapeuta da humanidade.
Com sua psicologia transpessoal, ela propõe uma nova forma de visualizar a existência e, à luz da doutrina espírita, do evangelho de Jesus, elucida os enigmas do relaciomento da criatura humana consigo mesma e com o seu semelhante.
Seu trabalho têm conferido entendimento a muitos dos que buscam sua Obra; orientando-se pelas reflexões propostas. Muitas pessoas relatam estarem se sentimento melhor, mais leve, mais suave e com novas possibilidades para realizarem a superação dos dramas que as envolvem. Disse Jesus: "No mundo tereis aflições", e elas são muitas; decorrentes das dores da alma que ainda não encontraram solução, fruto do sentimento em desalinho.
O GRUPO ESPÍRITA BENEFICENTE MARIA DOLORES, mantém a 5 anos um momento de reflexão em torno da obras de Joanna de Angelis, a benfeitora de Divaldo Franco. Se você deseja compreender-se  um pouco mais e também ao seu semelhante, seja bem vindo. Participe Conosco. A atividade é aos sábados das 9h as 10h, sem interrupção.
Endereço: Rua 19, nº 768, Bairro São Judas Tadeu - Jales,SP.
Informações pelo e-mail: addavid@ig.com.br

sábado, 18 de fevereiro de 2012

RETIRO DE CARNAVAL

espírito Ivan de Albuquerque

A Mocidade Espírita Ivan de Albuquerque estará em retiro do dia 18 ao dia 21 de fevereiro.
É um momento muito esperado pelos jovens do Grupo Espírita Beneficente Maria Dolores, de Jales-SP.
Esta atividade vem coroar o esforço e a participação de todos em estarem presentes nos estudos e atividades da casa durante todo o ano.
É MOMENTO DE ORAÇÃO, MEDITAÇÃO E LAZER, TRAZENDO GRANDE ALEGRIA AOS JOVENS E MOTIVAÇÃO PARA PERMANECEREM LONGE DA LOUCURA DESTES TEMPOS.
JESUS NOS ABENÇOE A TODOS
Adelvair David, dirigente de estudos da Mocidade

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

ESTUDO SOBRE O PASSE

Será realizado no Madô um estudo sobre o passe
Dia: 26 de fevereiro das 9h as 12h
Local: Rua 19, nº 768, Bairro São Judas Tadeu - Jales,SP
Promoção: Grupo Espírita Beneficente Maria Dolores
Aberto aos interessados, que deverão entrar em contato através do fone: 17- 3632.9983 (Jane) ou pelo e-mail addavid@ig.com.br

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

CARNAVAL


CARNAVAL

É muito comum o trânsito pelas festas carnavalescas de tantos quantos desejam viver o frisson emocional; muitos o fazem até o desvario comportamental, sem a atenção devida com a sua exposição.
Em especial, a juventude, motivada pelos chamados constantes dos meios de comunicação aguardam curtir o momento que chamam de “ser feliz”.

Observadas por uma ótica mais acurada, as festas carnavalescas são esperadas pela característica principal de se colocar os “bichos” para fora, de não se ter limites para as experiências e desvarios comportamentais, onde tudo vale.
Aflorada e muito recente, as tendências inferiores vitimam mais os jovens; existe neles a facilidade em recordar-se emocionalmente o passado, onde as atitudes menos felizes deixaram gravadas as necessidades de ceder aos apetites das sensações, em detrimento dos sentimentos. De forma alguma essa experiência poderá ser considerada como felicidade; muitos lesam-se física e moralmente para toda a vida; outros adquirem obsessões espirituais de longo curso; alguns acordam para o que não deviam e comprometem toda uma existência.

Dizem os espíritos venerandos que, devido ao propósito inferior da maioria dos que estão nestes ambientes, permite-se a presença de espíritos perversos e levianos, sexólatras e viciados de toda ordem que se entrelaçam aos incautos fazendo verdadeira parceria emocional, fixando-lhes na mente e no corpo matrizes de desiquilíbrios que permanecerão por muito tempo, comprometendo a saúde física e moral de cada um.
A argumentação de muitos pais, filhos, amigos e irmãos é a de que, vão apenas para se divertirem e, não se permitirão experiências menos dignas. Dizemos que, como os ambientes estão saturados de energias adensadas e de teor ruim, transformam-se em verdadeiros pântanos. Para aqueles que desejam estes festejos e que justificam nada encontrar que seja preocupante, explicamos: Se um homem alcoolizado e um homem sóbrio, ambos com roupas brancas forem atravessar um lamaçal de águas paradas, ambos chegarão do outro lado impregnados da lama fétida e de toda podridão que a contém; é provável que o alcoólatra chegue mais sujo, mas o certo é que ambos estarão exalando odor desagradável.

Alguns argumentam estarem protegidos por aqueles que no outro plano da vida velam por suas horas. Isto não é bem verdade, eles o podem fazer desde que, o comportamento emocional do protegido seja superior, caso contrário cada um estará mais ou menos entregue à sua própria escolha e com aqueles com quem compartilha loucura.
Os pais devem preservar a harmonia de suas famílias, evitando desde cedo que os seus pequenos tomem interesse e contato com estas experiências. Evangelizando-lhes o coração, ensinando-lhes valores melhores atenderão ao compromisso que receberam ainda no mundo espiritual, de encaminhar estes espíritos para a possibilidade de vencerem suas mazelas e construírem uma vida melhor, diferente dos fracassos do ontem.

Disse o apóstolo Paulo: “Tudo me é licito, mas nem tudo me convém”.
EVITEMOS A LOUCURA GERAL, PARA QUE JUNTO AOS NOSSOS, POSSAMOS GOZAR DE MELHOR SAÚDE ESPIRITUAL.

Autor: Adelvair David   

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

INFORMATIVO MARIA DOLORES DE FEVEREIRO Nº 108

JUSTA HOMENAGEM

DIVALDO: AMOR PARA COM A MISSÃO, RESPEITO PARA COM OS IRMÃOS E FIDELIDADE À DOUTRINA ESPÍRITA.

Em nosso entendimento, Divaldo Franco é sem dúvida um dos expoentes do espiritismo brasileiro, conhecido pela sua oratória e mediunidade em praticamente todos os países.Tivemos oportunidade de estar com Divaldo por várias vezes, em vários anos seguidos no Feirão Espírita da cidade do Rio de Janeiro, evento promovido por Ana Guimarães e Geraldo Guimarães “in memorian”, através do Grupo Espírita Caminho da Esperança, atividade que acontece até hoje no pátio do Colégio Militar da cidade do Rio de Janeiro.
Após as atividades tínhamos a satisfação de ficarmos próximos de Divaldo em um bate papo agradável, desfrutando da sua sempre alegre e jovial presença, encantando-nos a todos com seus relatos e comentários muito oportunos para o nosso aprendizado.
Durante os dias da semana que antecede o evento, Divaldo generosamente concede aos corações a possibilidade de ouví-lo em uma série de atividades, tais como: palestras, seminários em vários locais do Estado do Rio de Janeiro, sempre com grande público presente.
A entrega dos recursos financeiros obtidos com a venda de produtos das muitas regiões do Brasil ali representadas, era feita logo após o encerramento do evento nas dependências do Grupo Espírita Caminho da Esperança. O Feirão era e é encerrado sempre com emocionada palestra efetuada por Divaldo Franco. Até hoje, como é feito todo ano, durante todo o dia, espíritas e não espíritas comparecem para prestigiar o evento e para ver Divaldo, obter um autógrafo em obras por ele psicografadas e ainda trocar uma palavrinha com o grande tribuno.
É o reconhecimento da importância para o movimento espírita brasileiro e do exterior para com a figura amorosa e impar de Divaldo Franco. É como se todos desejassem dizer a ele “muito obrigado” pela sua dedicação e entrega que tanto dignifica nossa amada doutrina.
Divaldo é uma pessoa sensível, de fala sempre precisa e justa. Franco sem ser grosseiro, transmite orientações àqueles que lha solicitam.
Assim compartilhamos com os companheiros estes momentos especiais, verdadeira pérolas que embelezam nossa alma, propiciando-nos refletir sobre nossa verdadeira responsabilidade para com o Cristo e para com a Doutrina Espírita.
Que Jesus continue abençoando esse missionário do bem, o nosso querido Divaldo Pereira Franco.
Divaldo recebe titulo de cidadão jalesense por indicação da vereadora Aracy de Oliveira Murari Cardozo
Divaldo autografando em Jales, SP

O grande público que compareceu a palestra de Divaldo Pereira Franco quando foi agraciado com o titulo de
Cidadão Jalesense no dia 27/10/2009
Divaldo, Ismael Gobbo e sua prima Aracy. Jales 27/10/2009


domingo, 5 de fevereiro de 2012

REFLEXÕES

O TEMPO PERDIDO

É muito comum ouvirmos as pessoas dizendo que estão aproveitando bem o seu tempo; que vivem sem tempo com tantos afazeres.

Alguns homens se transformam em agendas vivas. A correria cada vez mais ascendente parece não ser suficiente para o atendimento de todas as exigências da vida moderna; as necessidades do “ter”, requerem sempre mais recursos materiais, nunca suficientes.

É preciso observar que esta forma de viver, tresloucada, tem um preço nada recomendável a se pagar. O corpo tem seus limites; ultrapassados, passa a apresentar os problemas muito claros do exagero e dos excessos, levando o indivíduo a complicações as mais diversas na sua saúde; dentre os vários comprometimentos, em destaque o emocional, que assume descontrole assustador. Encontramos uma sociedade cada vez mais neurótica, cheia de manias e depressiva.

Quando alguém diz que está vivendo a vida, referindo-se às muitas ocupações que possui, vemos tratar-se de um grande engano de interpretação e compreensão do sentido do que seja a vida e o tempo. Segundo as mais modernas teses psicológicas, a excessiva busca por movimentar-se em descontrole ou de forma abusiva, é anuncio de fuga emocional. O Espírito humano está em aprendizado neste mundo que é classificado como de provas e expiações, onde cada um encontra-se situado na devida posição para crescer, se modificar e principalmente aprender a amar o seu semelhante, não apenas para correr atrás do que é transitório. Quando alguém está em harmonia com os seus sentimentos, deseja experimentar a vida e não apenas passar por ela realizando tarefas. Anseia pela experiência com os seus afetos, alegrando-se por estar com eles e participando dos seus momentos. Quando trabalha, não visa apenas angariar recursos financeiros, mas sim, a busca de um relativo conforto, não se entregando aos extremos para juntar cada vez mais, sem ter tempo para usar. Necessita de espiritualidade e procura buscá-la para aprender a servir e agradecer a Deus.

Observamos pessoas que ao final de um período de suas vidas, principalmente na senectude, lamentarem como eles mesmos dizem, de não terem “curtido” as coisas simples que se passaram e não foram percebidas. Deixaram para trás os filhos que cresceram, os netos que já são pais, os amigos que se mudaram ou se foram para a vida espiritual. Ouvimos certa feita de um senhor cujos cabelos já possuíam a neve do tempo: “Se eu pudesse, voltaria apenas trinta anos e faria tudo diferente”... “De que valeu correr tanto, se hoje me sinto tão só e tão vazio”. Embora tenha o mérito de ter trabalhado muito, juntado tanto, nada lhe faz sentido, senão a saudade daqueles com quem não conviveu, do tempo que, segundo ele, perdeu.

Asseverou Jesus: “Tratai de Juntar tesouros no céu[...]”.  O céu a que Ele se referia é o sentimento, é o coração. São os valores morais e espirituais que sustentam a vida em qualquer época e lugar, conferindo brilho ao olhar e ânimo para os enfrentamentos naturais.

Para aquele que tentou preencher o vazio que herdou das existências pretéritas, correndo de maneira desenfreada para todo lado, o tempo se apresentará perdido na avaliação da consciência, posicionando-o em grande desconforto.

O MELHOR TEMPO É ESTE. COMO APROVEITÁ-LO? SENTINDO-O.
Autor: Adelvair David - publicada no jornal "Folha Noroeste" em 28-01-12