segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

REFLEXÕES

VEM DE DENTRO
A expressão nem sempre define a situação.
Muitas pessoas quando narram a respeito de suas vidas, gostariam de se fazer absolutamente entendidas; não estamos falando aqui de expressões verbais e sim de expressões emocionais.
Como seria se a pessoa pudesse sentir o que o outro estivesse sentindo. As palavras na maioria das vezes seriam desnecessárias. O problema é quando nem mesmo nós sabemos o que estamos sentindo. Um amontoado de sensações invadem nosso peito e percebemos a fragilidade que é o nosso entendimento emocional.
Acontece que, se alguém não sabe identificar o que vem de dentro, dificilmente conseguirá compreender o que vai à sua volta, confundindo-se na maioria das vezes, iludindo-se outras, projetando o provável insucesso.
É muito importante aprendamos a realizar a auto análise para que nos tornemos mais objetivos e seguros e, principalmente, evitemos fazer o que não devemos, o que certamente acumularia muitos dissabores.
É urgente educarmos nossas emoções para que elas sejam mais comedidas, mais serenas, mais equilibradas. De nada adiantaria ter um bom conteúdo intelectual e zero emocional; acode-nos o dito popular: “é meter os pés pelas mãos”. Não se pode viver sob a guante dos impulsos sendo subjugados na vontade e nos desejos; necessário entendê-los.
Toda pessoa traz das vidas pretéritas um conteúdo próprio de suas vivências reclamando modificação, solução e aperfeiçoamento. Se alguém, sendo orgulhoso nega o fato de o ser, dificilmente se corrigirá. É assim com todas as nossas mazelas morais, que moram dentro de nossos corações.
O primeiro passo é prestar atenção ao que os impulsos sugerem. Como nos sentimos, por exemplo, em relação ao que vem dos outros?. O que ocorre é que, não é importante saber por que os outros nos magoaram, mas sim porque nós nos magoamos com eles. A resposta certamente surgirá em meio aos nossos desculpismos, mas será fundamental para solucionar a maioria dos problemas do relacionamento interpessoal; analisando-nos acuradamente encontraremos sem dúvidas o orgulho, forte, dominador movimentando nossas emoções ruins.
Para a conclusão do raciocínio, necessário considerar que, o único sentimento que pode modificar-nos plenamente em relação à vida ou aos outros é o de compreensão. Cada qual é responsável pelo que cria. Ensinou Jesus: “vigiai e orai, para não cairdes em tentação”. Os hábitos, os comportamentos precisam ser melhores observados e é na prece que encontramos abrigo para a alma; onde a inspiração flui auxiliando-nos a refletir sobre o que brota de nossa natureza; muita vez, fazendo-nos grande mal. Deus nos fortalece para a auto conquista sem que seja necessário nos atrelarmos às questões alheias para sermos felizes.
O QUE VEM DE DENTRO DETERMINA O MUNDO EM QUE SE VIVE POR FORA.
Autor da Mensagem: Adelvair David – publicada no jornal "Folha Noroeste" da cidade de Jales em 14 de janeiro de 2012

Nenhum comentário: