sexta-feira, 28 de outubro de 2011



APARÊNCIAS APENAS
No afã de desobrigar-se dos seus deveres, é comum o ser humano trabalhar em muitos momentos para escamotear os fatos de forma a proteger a sua imagem pública ou restrita.
Os fatos, por si só, são impositivos conscienciais, que trazem consequências naturais das quais não pode o autor se furtar, mesmo nas mais imperceptíveis ocorrências.
Há quem se importe apenas em parecer honesto, sem jamais se esforçar para sê-lo.
Há também aqueloutro que constrói uma imagem qualquer sem solidificá-la na verdade, vivendo apenas de aparências; lamentáveis posturas estas e outras semelhantes que não agradam os outros, muito menos aquele que assim procede ficando irremediavelmente obrigado a conviver com os resíduos deste comportamento, convidado pela consciência a ver-se como se é, quando nos seus momentos de solidão.
É inócuo acreditar que se pode enganar o tempo todo. Quando falamos, pensamos ou sentimos emitimos vibrações muito próprias, provindas de nossos reais valores que são irradiadas e captadas por aqueles com quem nos relacionamos; eles são informados sem engano através das percepções da alma, sobre quem somos e a respeito do verdadeiro caráter dos nossos desejos. Por isso, é que não existirá o ladrão perfeitamente esperto, o eterno desonesto, o dissimulado prevenido. No tempo devido, tudo fica exposto, porque em verdade nada esteve oculto. Ensina-nos os espíritos venerandos que, aquilo que desejamos manter escondido é de conhecimento inconsciente de todos. Disse Nosso Senhor Jesus Cristo: “Pois não há nada de escondido que não venha a ser revelado, e não existe nada de oculto que não venha a ser conhecido".
Necessário que o homem se esforce lutando contra as suas más inclinações, se realmente deseja ser feliz e ter uma representação fiel para com os seus irmãos, fazendo-se reconhecer como espírito que é, com imperfeições, porém, não se comprazendo com as suas mazelas, antes anelando modificá-las. Agindo desta forma, sentir-se-á mais confortável em seus sentimentos, tendo como companhia a pacificadora confiança em si mesmo, sempre pronto a ouvir a voz silenciosa de Deus que canta a mensagem do amor na sua intimidade.
Ninguém jamais estará bem tentando passar os outros para trás, enganando, destruindo a reputação alheia e projetando-se de maneira equivocada para estar onde não deva, ou permanecer em algum empreendimento objetivando ganhar algum tipo de ilusória vantagem. Apenas o que somos verdadeiramente pode nos trazer experiências reais, que deixam aprendizado. O ato pensado, calculado de má fé, sempre arrastará consigo as amargas taças da agonia, que o espírito experimentará por ter tentado enganar, terminando por enganado.
Seja a nossa vida como um lago; às vezes está sereno, outras vezes movimenta-se devido a alguma intrusão que lhe agita, porém, sempre disposto a calmaria e a paz.
ELE, O MAIOR DE TODOS NÃO PROJETOU-SE COMO SENHOR, MAS COMO SERVO, SIGAMO-LO.
Autor : Adelvair David - mensagem publicada no jornal "Folha Noroeste" em 26-10-11- Jales-SP.

Nenhum comentário: