segunda-feira, 29 de agosto de 2011

REFLEXÕES

BENEFICIAR
Um dos mais sublimes deveres morais do homem é o de beneficiar o seu semelhante. Ensinou Jesus: “Ama o teu próximo como a ti mesmo”.
Auxiliar, saber descobrir as necessidades alheias e estender mãos generosas é exercício de nobreza para as almas em crescimento neste mundo, na direção do amor de Deus.
Beneficiar o outro é a suprema qualidade do beneficente. Só o faz verdadeiramente quem dá sem ostentação, sem prepotência, sem ares de superioridade; o ideal é fazer com que o beneficiado não se sinta humilhado ao receber; que o benfeitor se posicione na mesma linha do olhar de quem pretende auxiliar, só assim o fará com amor.
Muitas criaturas enumeram problemas emocionais sem razão aparente. Compreendemos que estas dores são morais; heranças de um passado inglório, forjadas no comportamento indevido para com o semelhante e para consigo mesmo, principalmente na indiferença e no desrespeito de toda ordem. Os padecimentos sofridos, tanto morais quanto físicos, anunciam a urgência de maiores esforços no sentido de se conquistar novos valores, renovando-se. Seguir sem modificar-se, sem procurar beneficiar os membros da família humana é perpetuar angústias e estacionar.
Os compromissos assumidos diante da própria consciência no outro plano da vida, antes da volta à existência corpórea, aguardam solução; ao se tornar melhor, mais afável, mais caridoso o homem deixa de ferir o seu irmão em qualquer sentido que seja.
Dentre muitas escolhas a fazer, aquele que deseja aprender a amar como Ele ensinou, não deve aguardar somente o infeliz que lhe roga à porta. Necessário aprender a perdoar, a compreender, a tolerar, a ser indulgente. Tratar com ética e respeito a todos com quem se convive no trabalho, no lar ou qualquer lugar é estruturar novas emoções e sentimentos na sua natureza; estas mudanças o tornam mais forte sem ser prepotente e mais dócil sem ser submisso; confere-lhe mais autoridade sem ser duro, possibilitando dar sem humilhar, evitando qualquer constrangimento ao necessitado de qualquer espécie.
A delicadeza ao beneficiar é ação caridosa que o amor permite realizar como Jesus nos ensinou; a caridade nasce no coração de quem está aprendendo a servir como Ele serviu.
O BENEFÍCIO É UM CONVITE DO AMOR PLENIFICANDO AQUELE QUE DÁ.
Adelvair David - mensagem publicada no Jornal "Folha Noroeste" da cidade de Jales-SP em 27-08-11

Nenhum comentário: