LUCIDEZ EMOCIONAL
As emoções humanas respondem pelas várias manifestações que caracterizam a pessoa.
Quando equilibradas, promovem e elevam o “Ser”, dando-lhe credibilidade e firmeza, porém, quando desequilibradas podem trazer danos imprevisíveis, deixando seqüelas que vão do comprometimento das suas relações humanas e da sua saúde, à perda da própria vida, em acidentes orgânicos irreversíveis.
Os exaltados, os efusivos, os excessivamente entusiasmados ou os retraídos, reagem inebriados por emoções momentâneas; à semelhança de tempestades íntimas, elas irrompem expondo a pessoa em verdadeiras crises, que dão notícias dos sentimentos conturbados transitando no seu interior.
Dizem alguns que por serem muito lúcidos não conseguem ver as coisas e aguardar o tempo para a sua resolução, tem de resolver na hora; outros dizem que possuem sangue nas veias e que as coisas não podem passar sem resposta. Agem, reagem, tomam decisões impulsionados por esta força descontrolada que lhes governam; Chamam de autenticidade o que não passa de grosseria, de verdade o que não passa de crueldade, de rapidez na decisão o que não é senão impulsividade; aberrações emocionais que certificam a imaturidade e o equívoco em que vivem; verdadeiro torpor moral.
Em que pese a necessidade de agir sempre com presteza e respeito à necessidade que se apresenta, muitos inescrupulosos se valem do seu temperamento agressivo e pouco ético para fazer valer suas opiniões, suas vontades - mesmo que equivocadas – a qualquer custo, sem ponderar o prejuízo material, moral e espiritual que podem trazer ao semelhante.
O homem que tem lucidez emocional é sereno e goza de relativo equilíbrio que lhe permite o bom trânsito nos vários desafios a que a vida lhe convida experimentar. Busca servir mais do que ser servido; procura sempre meditar no que diz, evitando palavras duras e maldosas que não resolvem, apenas fere e magoa; deixa sempre uma boa impressão no coração daquele que lhe ouve ou lhe desfruta da convivência; é gentil, tolerante e prima por ser verdadeiro, sem violentar a opinião ou a vivência de quem quer que seja. Evita agir com intenções ocultas que lhe confiram ganhos ilícitos ou conspirando de modo a destruir os outros.
Alertou Jesus: “No mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo [...]”.
ANIMEMOS O CORAÇÃO NA SERENIDADE QUE NOS ENSINOU, COM A LÚCIDA DECISÃO DE AMAR AGORA.
Autor: Adelvair David – mensagem publicada no Jornal “Folha Noroeste” no dia 13 de agosto de 2011.

Comentários

quintella47@hotmail.com disse…
DAVID; QUE JESUS NO SEU IMENSO AMOR POSSA SEMPRE ILUMINAR OS SEUS PASSOS NESSA TRAJETÓRIA TERRENA.....MUITA PAZ EM SEU CORAÇÃO.
QUINTELLA

S.Joao de Iracema sp
Anônimo disse…
Sábias palavras em tempos difíceis....Obrigado...estou precisando..

Postagens mais visitadas deste blog

REFLEXÕES

REFLEXÕES