terça-feira, 30 de agosto de 2011

A MEDIUNIDADE E O ERRÔNEO CONCEITO

Vulgarizou-se o costume incorreto de generalizar-se todo e qualquer problema de natureza mediúnica, portanto, criando-se o errado conceito de que os enfermos, os inquitos e portadores de conflitos, de dificiculdades econômicos, emocionais, psíquicas e sociais, ou  que vêm experimentando dissabores e desafios não resolvidos, devem desenvolver a mediunidade, e logo são levados às lamentáveis exibições de fenômenos nervosos, histéricos, anímicos e, às vezes, mediúnicos atormentados, nuns produzindo medo irreversível, noutros produzindo hilaridade e em diversos mais, deslumbramentos. Dão a impressão de haver descoberto o fio de Ariadne, da mitologia grega, que os irá retirar do labirinto, onde nem sequer conseguiram matar o Minotauro, significando as suas aflições e tormentos, nos dédalos por onde deambulam em círculo, sem encontrar a porta de saída. Adentraram-se, irresponsavelmente, no tremedal e agora desejam a liberação de forma equivalemte, leviana.

Da obra: Transtornos Psiquiátricos e Obsessivos - espírito: Manoel Filomeno de Miranda - médium: Divaldo Franco

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

REFLEXÕES

BENEFICIAR
Um dos mais sublimes deveres morais do homem é o de beneficiar o seu semelhante. Ensinou Jesus: “Ama o teu próximo como a ti mesmo”.
Auxiliar, saber descobrir as necessidades alheias e estender mãos generosas é exercício de nobreza para as almas em crescimento neste mundo, na direção do amor de Deus.
Beneficiar o outro é a suprema qualidade do beneficente. Só o faz verdadeiramente quem dá sem ostentação, sem prepotência, sem ares de superioridade; o ideal é fazer com que o beneficiado não se sinta humilhado ao receber; que o benfeitor se posicione na mesma linha do olhar de quem pretende auxiliar, só assim o fará com amor.
Muitas criaturas enumeram problemas emocionais sem razão aparente. Compreendemos que estas dores são morais; heranças de um passado inglório, forjadas no comportamento indevido para com o semelhante e para consigo mesmo, principalmente na indiferença e no desrespeito de toda ordem. Os padecimentos sofridos, tanto morais quanto físicos, anunciam a urgência de maiores esforços no sentido de se conquistar novos valores, renovando-se. Seguir sem modificar-se, sem procurar beneficiar os membros da família humana é perpetuar angústias e estacionar.
Os compromissos assumidos diante da própria consciência no outro plano da vida, antes da volta à existência corpórea, aguardam solução; ao se tornar melhor, mais afável, mais caridoso o homem deixa de ferir o seu irmão em qualquer sentido que seja.
Dentre muitas escolhas a fazer, aquele que deseja aprender a amar como Ele ensinou, não deve aguardar somente o infeliz que lhe roga à porta. Necessário aprender a perdoar, a compreender, a tolerar, a ser indulgente. Tratar com ética e respeito a todos com quem se convive no trabalho, no lar ou qualquer lugar é estruturar novas emoções e sentimentos na sua natureza; estas mudanças o tornam mais forte sem ser prepotente e mais dócil sem ser submisso; confere-lhe mais autoridade sem ser duro, possibilitando dar sem humilhar, evitando qualquer constrangimento ao necessitado de qualquer espécie.
A delicadeza ao beneficiar é ação caridosa que o amor permite realizar como Jesus nos ensinou; a caridade nasce no coração de quem está aprendendo a servir como Ele serviu.
O BENEFÍCIO É UM CONVITE DO AMOR PLENIFICANDO AQUELE QUE DÁ.
Adelvair David - mensagem publicada no Jornal "Folha Noroeste" da cidade de Jales-SP em 27-08-11

domingo, 14 de agosto de 2011


LUCIDEZ EMOCIONAL
As emoções humanas respondem pelas várias manifestações que caracterizam a pessoa.
Quando equilibradas, promovem e elevam o “Ser”, dando-lhe credibilidade e firmeza, porém, quando desequilibradas podem trazer danos imprevisíveis, deixando seqüelas que vão do comprometimento das suas relações humanas e da sua saúde, à perda da própria vida, em acidentes orgânicos irreversíveis.
Os exaltados, os efusivos, os excessivamente entusiasmados ou os retraídos, reagem inebriados por emoções momentâneas; à semelhança de tempestades íntimas, elas irrompem expondo a pessoa em verdadeiras crises, que dão notícias dos sentimentos conturbados transitando no seu interior.
Dizem alguns que por serem muito lúcidos não conseguem ver as coisas e aguardar o tempo para a sua resolução, tem de resolver na hora; outros dizem que possuem sangue nas veias e que as coisas não podem passar sem resposta. Agem, reagem, tomam decisões impulsionados por esta força descontrolada que lhes governam; Chamam de autenticidade o que não passa de grosseria, de verdade o que não passa de crueldade, de rapidez na decisão o que não é senão impulsividade; aberrações emocionais que certificam a imaturidade e o equívoco em que vivem; verdadeiro torpor moral.
Em que pese a necessidade de agir sempre com presteza e respeito à necessidade que se apresenta, muitos inescrupulosos se valem do seu temperamento agressivo e pouco ético para fazer valer suas opiniões, suas vontades - mesmo que equivocadas – a qualquer custo, sem ponderar o prejuízo material, moral e espiritual que podem trazer ao semelhante.
O homem que tem lucidez emocional é sereno e goza de relativo equilíbrio que lhe permite o bom trânsito nos vários desafios a que a vida lhe convida experimentar. Busca servir mais do que ser servido; procura sempre meditar no que diz, evitando palavras duras e maldosas que não resolvem, apenas fere e magoa; deixa sempre uma boa impressão no coração daquele que lhe ouve ou lhe desfruta da convivência; é gentil, tolerante e prima por ser verdadeiro, sem violentar a opinião ou a vivência de quem quer que seja. Evita agir com intenções ocultas que lhe confiram ganhos ilícitos ou conspirando de modo a destruir os outros.
Alertou Jesus: “No mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo [...]”.
ANIMEMOS O CORAÇÃO NA SERENIDADE QUE NOS ENSINOU, COM A LÚCIDA DECISÃO DE AMAR AGORA.
Autor: Adelvair David – mensagem publicada no Jornal “Folha Noroeste” no dia 13 de agosto de 2011.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

PALESTRA E SEMINÁRIO ESPÍRITA COM NAZARENO FEITOSA DE BRASILIA NO MARIA DOLORES

NESTE SÁBADO DIA 13 as 14h - SEMINÁRIO
NESTE DOMINGO DIA 14 AS 19h30min - PALESTRA
TODOS ESTÃO CONVIDADOS PARA ESTES MOMENTOS JUNTO AOS NOSSOS CORAÇÕES
Rua 19, nº 769, Bairro São Judas Tadeu - Jales-SP
informações pelo fone 17-3632.9983 ou pelo e-mail: addavid@ig.com.br
SEJAM TODOS BEM VINDOS