REFLEXÕES


O QUE É CERTO

As realizações humanas estão naturalmente vinculadas à lei de consequências moral e material.
Tudo o que se faz repercute na vida do autor gravando os efeitos na consciência, que trata imediatamente de fazer a aferição segundo os valores de cada um. Conhecimento material, espiritual ou de qualquer corrente elevada de pensamento, é bagagem, quando estruturado em bases amorosas, servindo de orientação para as decisões a serem tomadas sempre.
Há muitos desafios a serem enfrentados em todos os campos de vivência da criatura. Os há, ainda muito mais, no mundo íntimo, onde em ambiente de solidão, e sem ser solitário, o espírito encontra-se desnudo das conveniências criadas para a convivência social. Ali é onde toma decisão de como vai proceder.
Fazer o que é certo agir conforme os princípios de retidão e cumprimentos do dever, é tarefa confusa diante de tantos convites e tantas facilidades para se buscar os caminhos mais curtos, errados, nada honrosos; sentindo-se aturdido ante o barulho ensurdecedor da insânia popular, embriagado pela ideia de obter vantagens, mesmo que ilícitas, o homem segue fazendo o que quer, porém, experimentando conflito de toda ordem.
As leis divinas são perfeitas; seus princípios, estabelecidos por Deus são imutáveis; impotente o homem para mudar-lhe a essência, só lhe resta submeter-se a elas, se deseja o seu progresso moral, espiritual. Ao transgredi-las, sofre-lhe o efeito na direta relação do que deu.
Se o criador fez suas Leis perfeitas, deixou ao homem que fizesse as suas, fruto das suas observações e necessidades que foram se modificando com os tempos, adequando-se ao progresso; com o aperfeiçoamento do sentimento o ser humano abandonou costumes, alguns deles hoje, considerados bárbaros, ficaram esquecidos nas páginas da história da humanidade.
Cumprir a lei divina é tomar consciência dos ensinamentos do mestre Jesus; suas orientações são roteiro de felicidade e progresso para as relações humanas na terra, porque está em consonância com as leis de Deus, baseada no mais puro amor. Cumprir as leis dos homens é dever que conduz cada criatura à disciplina necessária para aprender o respeito aos direitos dos outros, erradicando-lhe o egoísmo e o orgulho, melhorando significativamente a paz social e do mundo que tanto se almeja nestes tempos.
Aquele que conhece a ambas tem duplo dever; se é alguém que aponta caminhos, além de segui-los deve exemplifica-los, do contrário, é barco sem bússola, mostrando rumos inexistentes, perdido, perde aqueles que o seguem também. No que diz respeito aos interesses, é difícil agir abrindo mão de fazer valer o que se quer; muitos se utilizam para isto de recursos nada recomendáveis; imposição, intimidação, corrupção, deserção são posturas que afrontam a consciência, ferem as leis divinas, compromete a pessoa diante do seu irmão, diante de Deus e prejudica o direito de todos.
Disse Jesus ao doutor da lei: [...] vai e faze tu [...], orientando-nos a que também nós tratemos de fazer sempre a nossa parte no cumprimento dos deveres de toda ordem, para que se algo perdermos do lado de cá, certamente, fazendo o que é correto, muito estaremos ganhando do lado de lá. Acertar na conduta não é somente mostrar honradez, mas, sobretudo, abrir mão de fazer o mal, para que o amor cumpra a tarefa de regenerar a humanidade, a partir de nós.
MESMO SEM TESTEMUNHOS, FAÇA O QUE É DIREITO, PARA QUE A VIDA LHE SORRIA TRAZENDO-LHE SERENIDADE DE CONSCIÊNCIA.

Autor: Adelvair David - publicada no Jornal "Folha Noroeste" da cidade de Jales,SP em 12-01-2011

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

REFLEXÕES

REFLEXÕES