REFLEXÕES

SOLIDÃO
O espírito humano tem uma tendência costumeira à solidão.
Em princípio, somos levados a acreditar que este sentimento estrutura-se na falta de uma companhia, ou de pessoas que possam permitir a convivência em qualquer nível que seja.
É importante observar, que quando indagado, o solitário reclama de uma estranheza que lhe invade a alma instigando-o a afastar-se das pessoas; diz sempre que mesmo na companhia de alguém especial, ou de muitos corações queridos, sente-se profundamente relegado a um tipo de abandono que não sabe explicar, encontrando-se sozinho mesmo acompanhado.
Relata que mesmo em uma festa ou no meio de uma multidão, e fazendo exatamente aquilo que gosta de fazer, sente-se desorientado, perdido e tomado por um incomensurável distanciamento de todos, como se tudo estivesse em evidência em um ambiente de muitas cores, e ele sendo o único sem qualquer coloração.
Por isso afirmamos que a solidão não é a falta de alguém ou de alguma coisa, mas sim, a falta que a pessoa faz a si mesma. Sem condições de conviver em ambiente íntimo de paz, devido as constantes sabotagens da verdade e da fidelidade, da falta de transparência e dignidade no relacionamento com o outro, do cultivo do egoísmo e do orgulho, insculpe-se-lhe angustiante amargura na alma, confinando-o a um estado de recolhimento em ambiente sombrio e triste.
Necessário lembrar que é preciso lidar com a vida no clima da verdade que já nos é conhecida. Melhor estruturar valores nobres na alma, de compreensão em relação aos outros sem julgamentos. Evitar a postura de tudo fazer para levar vantagem sobre quem quer que seja principalmente daqueles que aparentemente não sabem se defender seja por ignorância ou até mesmo por conveniência; este comportamento redunda em ecos intermináveis na consciência, instalando a culpa e o remorso, que mesmo inconsciente, carregam a pessoa por longo tempo em estado de temor íntimo e sentimento de profundo abandono.
Asseverou-nos o divino amigo a Simão Pedro, no belo relato do espírito Amélia Rodrigues: “Ama Simão, em qualquer situação e sob qualquer aspecto, ama” [...]
AMA, DESPRENDENDO-TE DE TI MESMO, E ESTARÁS EM PAZ NA TUA E NA COMPANHIA E PRESENÇA DE TODOS, EM SUAVE SINTONIA COM O AMOR DE DEUS.
Autor da mensagem: Adelvair David - publicada no jornal "Folha Noroeste" da cidade de Jales,SP em 15 de janeiro de 2011.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

REFLEXÕES

REFLEXÕES