segunda-feira, 13 de setembro de 2010

REFLEXÕES


EVIDÊNCIA
Entre muitos sonhos, tantos desejam serem notados.
Não se fala aqui da notoriedade própria do trabalho ou da projeção que eleva aquele que pelos seus méritos alcança o chamado “lugar ao sol”.
A análise busca os desejosos de serem especialmente notados, destacados dos seus demais; estranhamente, a maioria deles, conseguidos de maneira obscura, sem que se possa estabelecer uma ligação com o devido crescimento, que é o reconhecimento de uma vida de trabalho, dedicação e empenho.
O que não se pondera, é que todo pódio tem seu preço, e toda projeção, principalmente a que se consegue forçadamente, custa recursos das reservas morais daquele que a ela se submete. Sendo esta honrosa, a evidência, plenifica o seu possuidor e também a todos os que se reúnem à sua volta; sendo desonrosa, ela tende a degenerar em escandalosa repercussão, quando se é surpreendido em infeliz atitude, transferindo o evidente, da reluzente posição ao fundo do poço, prejudicando-o definitivamente e a todos os que lhe concederam crédito.
Muitos lamentam a decepção que sofreram ao serem ludibriados pela evidente posição de alguns que lhes surrupiaram a fé, a confiança, a verdade. O que se pode dizer é que o fato de se ter sido enganado, na maioria das vezes, não é tema suficiente para fundamentar defesa; disse-nos o amoroso Senhor Jesus: “só lobos caem em armadilhas de lobos”; em análise sem maior profundidade... É provável que no projeto de se dar bem a qualquer custo, os enganados fecharam os olhos da prudência - porque também não são completamente honestos em seus propósitos - única amiga que pode aconselhar melhor em caso de dúvidas.
Quem busca simplesmente evidência, sem estabelecer uma trajetória de trabalho e esforço, jamais consolidará a posição de destaque sem prender-se no caminho a pessoas inescrupulosas e a situações comprometedoras que conspirarão mais cedo ou mais tarde contra a sua estabilidade moral, material, emocional ou espiritual.
Que ninguém se engane em relação ao que deseja alcançar ou possuir. (...) só é verdadeiramente legítimo, o que para possuir, não se prejudicou a ninguém (...). Não se deixe enganar, o mais evidente coração que a terra já recebeu no seu seio, passou por aqui com sandálias nos
pés.
A ÚNICA EVIDÊNCIA REAL É A QUE ENSINA A HUMILDADE.

Autor: Adelvair David - mensagem publicada no jornal "Folha Noroeste" da cidade de Jales-SP, no dia 11 de setembro de 2010.

Nenhum comentário: