segunda-feira, 30 de agosto de 2010

REFLEXÕES


POLÊMICOS
No comportamento humano, encontramos aos milhares os agitadores públicos ou privados, os insufladores, os polêmicos, que de maneira confusa protestam sem fundamento ou agitam as opiniões dos fatos, que mesmo reais, poderiam ter desfecho mais equilibrado.
Estes, os polêmicos, tomam a frente porque têm necessidade de exposição, mesmo sendo esta negativa, sem a preocupação com as conseqüências do seu alarde; agindo com irresponsabilidade moral, mesmo com razão, em nada colaboram com a resolução dos problemas, e não oferecem nenhum auxilio para minorar o sofrimento alheio ou para saída mais honrosa na dificuldade encontrada.
Observando a história da humanidade eles somam uma parcela significativa entre os traidores, os conspiradores e os usurpadores que, de personalidade conturbada, acabaram consumidos pela combustão social que iniciaram, sem deixarem caminhos ou colaboração mais eficaz para solucionar a pseudo causa que assumiram.
As verdadeiras ações, as obras mais significativas para a humanidade, estiveram nos ombros dos pacificadores, dos humildes; estes, “como asseverara Jesus” herdarão a terra; embora de aparência alquebrada e frágil, tinham verdadeira grandeza d´alma. Suas luzes exterminaram e exterminam as trevas da ignorância, da insensibilidade e da omissão, edificando esperança nos corações.
A vida, não sendo apenas o que os sentidos físicos podem apreender, transcende e abriga o seu artífice, o espírito humano, criado por Deus para elaborar-se e edificar-se nas muitas experiências em que terá que vivenciar, nas vidas cheias de desafios e aprendizado, cujos milênios enfileirados, consolidarão leveza moral e sabedoria, até a angelitude.
Desde já, é preciso ponderar a respeito dos fatos sociais que envolvem o homem, para que ao agir, sejamos instrumentos de sonoridade harmônica a ecoar no seio da humanidade, devolvendo-lhes a verdadeira proporção das suas ações.
NA POLÊMICA INSTALA-SE A BALBURDIA, NO DIÁLOGO SE CONSTRÓI A SOLUÇÃO MELHOR.
Autor da Mensagem: Adelvair David - publicada no jornal "Folha Noroeste" da cidade de Jales-SP em 28 de agosto de 2010.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

JANTAR BENEFICENTE

ATENÇÃO
CONVIDAMOS A TODOS PARA UM JANTAR BENEFICENTE
será o nosso JANTAR MINEIRO
no Grupo Espírita Beneficente Maria Dolores
Dia 28 DE AGOSTO as 20horas
Endereço: Rua 19, nº 768, Bairro São Judas Tadeu, Jales-SP.
Ingressos com os trabalhadores da casa ou pelo fone: 17- 9174.1591 (Cássia)





segunda-feira, 16 de agosto de 2010


AS IDÉIAS E OS IDEALISTAS
É fato que ter idéias é fenômeno comum. Muitos passaram e passam rompendo épocas com as suas idéias.
Necessário meditar que nem sempre idéias representam ideais. Não se pode confundir o idealista com o sonhador, aquele que vive no mundo das idéias. Enquanto o idealista possui um projeto para onde se encaminha sua vida, impulsionando-o ao trabalho, aos esforços, o sonhador com suas idéias não vai a lugar algum.
Prisioneiros de suas idéias, contrariando todo o bom senso e sem nexo algum no tempo e no espaço, aguarda vivendo no mundo das idéias, que algo lhe caia do “céu”.
Há o que divulga suas idéias para o grande público; se entusiasma aguardando o parecer dos que lhe cercam, e quando o consegue, surpreende-se incerto, sem saber se é isto mesmo o que deveria fazer. Na sua histeria e inobservância não se apercebe que as suas idéias não representam os seus ideais, porque eles não existem.
Na obra do bem, até mesmo no campo da fé, existem as criaturas de idéias. Chegam a criar campos de serviço, mas para os outros realizarem; logo abandonam ou se limitam a quase nulidade, pouco ou nada produzindo. Acreditam que a existência da obra, por terem-na criado e o trabalho dos outros, lhes conferirá valores. Disse-nos o Senhor Jesus: “A cada um segundo as suas obras”.
Os nomes honrados da humanidade, pela força de suas idéias, construíram ideais eternos, que o tempo não conseguirá apagar; permanecerá inspirando outros corações a seguirem por onde seguiram.
Os reais ideais estimulam o autoconhecimento, erradicando a ignorância e o preconceito, entraves significativos ao crescimento material, moral e espiritual.
Quando questionado sobre o porquê não se defendia das calúnias e ataques que recebia, Chico Xavier respondia: “Eu estou me defendendo, estou trabalhando”... Ensinou-nos a mais bela trilogia do sucesso e do idealista: Silêncio, Trabalho e prece.
Com certeza Chico não era apenas um homem de idéias, mas sim de ideais; exemplo vivo para quem deseja realizar algo.
O amor confere boas idéias àquele que lhe cede ao convite, transformando-o em IDEALISTA.
Autor: Adelvair David - mensagem publicada no Jonal "Folha Noroeste" da cidade de Jales em 14 de agosto de 2010.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

PELESTRA COM NAZARENO FEITOSA

CONVIDAMOS A TODOS OS IRMÃOS PARA UM SEMINÁRIO SOBRE DEPRESSÃO
Com NAZARENO FEITOSA da cidade de Brasília-DF.
Será no Grupo Espírita Beneficente Maria Dolores neste sábado dia 14 de agosto as 14h30min.
Endereço: Rua 19, nº 768, Bairro São Judas Tadeu - Jales,SP.
Fone para informação: 17-3632;9983 (Jane)
SEJAM TODOS BEM VINDOS

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

REFLEXÕES

ACREDITAR...
Somos naturalmente impelidos a uma série de crenças enquanto caminham as nossas vidas.
É sob o que se crê que a vida moral se constrói. Somente após muitas experiências vividas é que a natureza interior de cada um vai aprendendo a diferenciar o que é mito do que é real, selecionando por sentimento o que vale ou não a pena.
As crenças podem ampliar ou obliterar a visão. Injustiças e descalabros do comportamento podem passar perfeitamente como normais, distorcendo completamente a verdade; há quem, por indução de crenças esdrúxulas, deixando-se levar, auxilia na execução de projetos profundamente prejudiciais a um grupo ou a toda uma sociedade acreditando estar realizando a mais ética e elevada ação. Outro há que, mesmo sabendo do mal que está causando, por vinculação a equivocada ideologia, prossegue ignorando o prejuízo moral, material ou espiritual decorrente das suas ações.
A crença não deve ser cega. É necessário que se passe tudo ao crivo da razão; aceitar o entusiasmo alheio sem questionar é expor-se a grandes perigos. A veracidade, autenticidade ou nobreza de algo, só poderá ser percebida com rígidos aferidores; eles não estão fora, mas sim dentro de cada um. São os sentimentos, que muito mais do que o intelecto, seu grande aliado, torna a alma mais sensível e receptiva para sondar mais profundamente a natureza das coisas.
Sendo perfectível, o homem deve buscar na convivência humana, que é sua mais importante missão a compreensão dos reais valores da vida. Desenvolvendo seu potencial divino do qual está impregnado, nascerão os bons sentimentos, permitindo-lhe acertar mais e errar menos, a ver com mais clareza livrando-se das crenças equivocadas.
O amor é o sentimento maior para os acertos, elucidando as crenças dando-lhes medidas; qualquer empreendimento que não puder sobreviver ao critério do amor é falso; objeto de mentes oportunistas e malévolas, e necessitam serem rejeitados.
Convivendo nos melhoramos. Disse-nos Ele, o Senhor: “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei”. Do nosso jeito já o fazemos e ainda não é suficiente, é preciso amar como ele amou, somente assim poderemos ter condições interiores mais adequadas à vida que temos.
No conhecimento e no sentimento estão as certezas da alma que experimenta paz e alegria.

Autor da Mensagem: Adelvair David - publicada no jornal "Folha Noroeste" no dia 31 de julho de 2010.