segunda-feira, 12 de julho de 2010

REFLEXÕES


SEM ESMORECER
Enquanto a solidão reforça o sentimento de amargura, grita a alma humana por desafogar-se, rogando paz.
Podem-se encontrar olhos lacrimosos por toda parte, basta que se observe e ao lado mesmo existe alguém de semblante melancólico cujo olhar no horizonte procura um lugar onde repousar o coração.
Embora a observação apresente tal realidade, a vida não é um mar de dor onde o homem foi sitiado para experimentar agruras e desesperanças. Ninguém está irremediavelmente condenado aos dissabores; na maioria dos casos, as dificuldades surgem da rebeldia, da falta de entendimento, da incompreensão diante das provas, da imaturidade e ignorância quanto às verdades do existir.
A ciência tem buscado pesquisar os meandros da mente humana; esforços são empreendidos na elucidação das intempéries emocionais; muitos investigam e logram êxito no desenvolvimento de técnicas e medicamentos que auxiliem a viver melhor aquele que é tomado por estados agudos de sofrimento interior decorrentes da insatisfação quanto aos resultados esperados nas lutas da vida, porém, se considerado apenas no contexto mente corpo, a cura fica minimizada e difícil encontrar a resposta ideal para solução dos dramas humanos.
Criado à semelhança de Deus em sua natureza espiritual e jamais abandonado a um destino incerto, o homem entenderá que nada do que o atinge surgiu do acaso e sim pelo mecanismo da lei de causa e efeito; seus enganos do passado e do hoje necessitam de retificação, somente assim, experimentará repouso de alma; o criador marcou a sua criatura com sementes virtuosas que dormem na sua intimidade, que despertarão quando o homem desejar semeá-las na própria vida; importante não esquecer a assertiva do espírito Emmanuel: “A sementeira é livre, mas a colheita é certa”.
Quando o coração apertar e certo desânimo fizer convite a desistência, é prudente buscar, entre outras escolhas, o auxílio da prece; de coração voltado para a sua espiritualidade encontrará o homem refúgio e aconchego de alma; para o peito em chamas, asseverou-nos Jesus: “Pedi e obtereis”. O bom conselho é inspiração que vem do alto, apagando as labaredas da revolta.
Não se deixe abater, permita as lágrimas se necessário for, porém, renove-se imediatamente na confiança e no otimismo e prossiga sem esmorecer.
A VIDA É LUZ INAPAGÁVEL, NEM MESMO A MORTE PODE OFUSCÁ-LA, POR ISSO, VIVA PLENAMENTE.
Autor: Adelvair David - Mensagem publicada no Jornal "Folha Noroeste" da cidade de Jales-SP, no dia 11/07/2010.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial