domingo, 21 de março de 2010

SAÚDE VALIOSA
As doenças são verdadeiros desafios a que se encontra submetida grande parte da humanidade. O Dr. Francisco de Menezes Dias da Cruz (1853 – 1937), médico, trabalhador digno das hostes espíritas elucida: “pensamentos nossos, definidos por vibrações, palavras ou atos, arrojam de nós raios específicos, sendo assim, é indispensável curar de nossas próprias atitudes, na autodefesa e no amparo aos semelhantes, porquanto a cólera e a irritação, a leviandade e a maledicência, a crueldade e a calúnia, a irreflexão e a brutalidade, a tristeza e o desânimo, produzem elevada percentagem de agentes [...], de natureza destrutiva, em nós e em torno de nós [...], suscetíveis de fixar-nos, por tempo indeterminado, em deploráveis labirintos de desarmonia mental. Em muitas ocasiões, nossa conduta pode ser a nossa enfermidade [...].
Conclui-se que além dos males físicos provenientes do organismo ainda em evolução, do desgaste por ação do tempo, a maioria das enfermidades físicas e espirituais procede de uma natureza moral duvidosa, principalmente da mazela que não se deseja erradicar.
O corpo jamais prevalecerá sobre o espírito, que lhe preside incontestavelmente e sem o qual nada pode fazer, sendo este nada mais do que pó, o que certamente se tornará, libertando o ser imortal.
Nas curas de Jesus ele sempre afirmava: “a tua fé te curou”; a fé é a vivência da confiança aliada ao comportamento moral que lhe é condizente. O bem na mente e nas mãos sempre gerará saúde física e paz espiritual, melhorando ou curando o organismo físico e psíquico em que se detém o homem temporariamente; isto equivale dizer que cada um pode fazer a parte que lhe é devida na manutenção e preservação da saúde e naquilo que não dependa da sua vontade, disse Jesus: “impossível é isto para os homens, mas para Deus tudo é possível”.
Frear os abusos das tendências nocivas, verdadeiro carro desenfreado na ladeira abaixo, é prudência no uso do livre-arbítrio, para se ter equilíbrio; na Sua compaixão o criador far-nos-á o melhor.
NA ESCURIDÃO DA ENFERMIDADE, ACENDER A LUZ DO BEM VIVER.
Autor:Adelvair David - publicada no jornal "Folha Noroeste" - Jales, SP

Nenhum comentário: