REFLEXÕES


ENTENDIMENTO E SENTIMENTO
A vida expõe o homem e este a entende como pode; difícil tarefa que lhe exige muito mais do que conhecimentos.
Só fica entendido o que se acomodou na alma; o aparato intelectual é apenas um dos mecanismos a ser utilizado para análise do que lhe acontece.
O crítico tem pouco a oferecer, inclusive a si mesmo, porém, adquirir senso crítico é necessário para que se possa entender a vida e as experiências, aproveitando-as melhor; o espírito é o verdadeiro autor de tudo o ocorre na realidade da criatura; possuidor ou não de maturidade e senso para verificar os caminhos e situações; grande parte dos recados existenciais pode estar sendo desconsiderados por falta de recursos para compreendê-los. Arrogar-se sabedor de tudo, apenas por deter conhecimentos e informações, é observar a vida de forma precoce e superficial; o espírito Ferdinando, em O Evangelho Segundo o Espiritismo alerta: (...) o saber tem limites muito estreitos no mundo em que habitais.
Sem entendimento satisfatório, não se dirá que alguém aproveitou como devia o que lhe aconteceu, podendo tirar conclusões errôneas ou absorver lições perniciosas, ser enganado e ludibriado. Porém, precaver-se contra o que é ruim não é adotar postura de rejeição a tudo o que não se entende, mas buscar recursos para tirar melhor conclusão.
Um dos aferidores que dá suporte à razão para o devido entendimento é o sentimento; não acreditar em algo por preconceito ou por não querer meditar a respeito é insanidade, que pode fazer tão mal quanto o fato de ser crédulo absoluto, o que seria ingenuidade. Necessário se faz equipar o coração com valores suficientes, para que o senso crítico formado possa oferecer chances de melhor acerto diante dos muitos desafios da vida, disse-nos Jesus: “Brilhe a vossa luz”.
Os bons sentimentos nascem na boa vontade de se conviver com as pessoas sem prevenções nem credulidade exagerada, mas sim com o desejo de aprender e conhecer. Neste sentido nota-se que grande parte dos enganados não estavam tão bem intencionados. O ludibriador encontra no ludibriado campo de ação. Enquanto o idealista vê mais claro, o ambicioso vê embaçado e pode ser enganado; aquele que fala a verdade inibe o caluniador, porém, o mentiroso o atrai e pode ser sua vítima.
TER UM BOM CORAÇÃO É APRESENTAR RAZÕES À RAZÃO PARA ENTENDER MELHOR.

Autor: Adelvair David - Publicada no jornal "Folha Noroeste" da cidade de Jales-SP, no dia 27 de março de 2010.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

REFLEXÕES

REFLEXÕES