segunda-feira, 14 de setembro de 2009

REFLEXÕES

O DESAFIO DE DENTRO
Dai a Cesar o que é de Cesar e a Deus o que é de Deus.
A proposta desafio apresentada a Jesus, tinha como objetivo confundir a opinião dos presentes a respeito do mestre e dar motivo a condenação antecipada do Senhor, porém, neste cenário se construiu uma das maiores reflexões para a humanidade.
A visão imediatista do conjunto, como também naquele momento, leva o homem comum a acreditar que tudo está perdido neste mundo. Os sonhos esbarram, para a sua concretização, nos empecilhos do dinheiro, do poder, das dificuldades naturais que frustram a escalada rumo ao crescimento antes mesmos desta ter início.
Acredita ele que, se possuísse algo especial além do que já tem, toda a sua vida seria diferente, a felicidade lhe bateria às portas alegrando-lhe o coração e a vida farta lhe traria tranquilidade sem limites. Não observa que ao focar um só âmbito da questão se estreita na compreensão da vida, abandonando-lhe o conceito maior. É preciso considerar também, que afastando-se do mundo ou mesmo não lhe respeitando as leis, ou ainda rebelando-se, insulando-se, não poderá elevar-se para além de onde já está.
Para compreender o ensinamento do Mestre será preciso vislumbrar que vida não é o limitado conjunto de fatos a que a pessoa está submetida nesta passageira oportunidade, que é a existência presente. A vida se projeta para além das fronteiras onde os olhos humanos podem divisar. Ela é o amor de Deus expressando-se na eternidade para nunca deixar de existir. Somos os seres pensantes, as inteligências criadas por Deus para preencher de sentido o universo criado por Ele.
Dai a Cesar o que é de Cesar. Quando vemos um mundo tão mal direcionado em seus recursos, compreendemos a deformidade dos valores dos seus habitantes que ainda não conseguem perceber que o que sobra a um, falta ao outro, que a humanidade é a sua família, que não se está dando a cada um o que é devido. Cabendo ao homem desenvolver o amor como cantou Paulo de Tarso “(...)mesmo que eu falasse a língua dos anjos, se eu não tivesse amor, eu nada seria(...)”.
Dai a Deus o que é de Deus, ensinamento que ele mesmo exemplificou, dando a vida pela humanidade, demonstrando até onde pode ir o amor. Enquanto os pessimistas sentenciam o fim de tudo, uma grande quantidade de corações bem intencionados realizam a silenciosa tarefa de promover o bem, dever maior de quem deseja dar a parte de Deus, ou seja, aproximar-se do seu amor para elevar-se acima do mundo, como o fez Jesus, entendendo, compreendendo, perdoando, tolerando, respeitando, sendo gentil, afável, generoso, consciencioso, bondoso, terno e amoroso.
O MUNDO FORA DO HOMEM SERÁ O REFLEXO DO QUE ESTIVER DENTRO DELE.
Autor: Adelvair David - texto publicado no "Jornal Folha Noroeste" da cidade de Jales-SP, no dia 12 de setembro de 2009.

Nenhum comentário: