domingo, 7 de junho de 2009

REFLEXÕES

CRESCIMENTO, ATIVIDADE MÚTUA.
O coração humano tem muitos caminhos. Alguns, verdadeiros becos sem saída, quando não se compreende os próprios sentimentos.
As paixões acumuladas nos milênios que representam o ser na sua evolução, ainda resistentemente mantidas e arraigadas, por vezes, cegam-lhe a visão racional e emocional impedindo-lhe vislumbrar com clareza os mais notórios absurdos, conduzindo-lhe às ações ignóbeis e vis, que lhe trarão conseqüências amargas e de difícil resolução.
Ninguém é infeliz pelo que não recebe, mas pelo que não possui, e conseqüentemente pelo que não dá. Movido pelo orgulho exacerbado e pela necessidade de preencher o grande vazio da falta de realizações próprias, a pessoa se entrega a exigir, coibir, intimidar, deturpar, escamotear e a atormentar os seus demais para desfocar o tormento em que vive, por não querer mudar.
A falta de coragem para viver determinado comportamento – por freio social, religioso ou de outra ordem, que a pessoa acredita desejaria viver - traz-lhe grande amargura, desencadeando, se não encontrar uma forma de lidar honrosamente com a situação, ações lamentáveis cujo desfecho ruidoso repercutirá, provocando escândalos exteriores e muito mais que isso doloroso processo interior, intransferível, exigindo harmonização.
Porém, cada ser humano, por ser filho de Deus, tem na alma um solo divino para ser semeado. As ervas daninhas dos vícios e das inferioridades – de que ninguém neste mundo está isento, pois que não há por aqui seres perfeitos – não conseguirão sufocar o crescimento das boas plantas; os anseios nobres surgirão em meio às dificuldades, poderão ser colocados em prática com muito esforço e vontade firme de domar o mal para deixar surgir o bem, e isto, todo ser neste mundo pode fazer.
É preciso ser otimista, respeitar os outros, levando-se em conta que o crescimento é atividade mútua; juntos os homens poderão construir um futuro promissor, de luzes para todos os povos; a tão sonhada paz para a humanidade, que deve começar pela pequenina parte sob a responsabilidade pessoal e impostergável de cada criatura.
A história só perpetua o bem e seus agentes e recorda com lamento o mal para não ser jamais seguido.PODEMOS COMANDAR TEMPORARIAMENTE POR IMPOSIÇÃO, MAS SOMENTE AMANDO SERVIREMOS PARA SEMPRE
Texto: Adelvair David - Publicado no Jornal "Folha Noroeste da cidade de Jales-SP" no dia 07-06-09

Nenhum comentário: