domingo, 10 de maio de 2009

A EXCELÊNCIA DO AMOR

O amor não é mais uma proposta de felicidade, ele é fundamental para a vida, sem ele a vida desfalece; sem ele o crime, o suicídio, a fome, a violência, a tirania e todos os descalabros morais de que se tem notícia.

A dor da privação material é grande, mas a da falta de amor é superlativa. Todos os dias a esperança de alguém morre diante da indiferença, quando não encontra quem lhe possa amparar as pernas cansadas e os ombros feridos pelas provas da vida.

O verdadeiro amor como o entendia Jesus ainda não é vivenciado pelos nossos corações, mas a vida encontra sentido quando não se desiste de caminhar em Sua direção. Ele o apresentou ao mundo, aos doutores e sacerdotes que o rejeitaram, temendo-o como lepra destruidora, porque defendiam interesses mesquinhos, de espoliação e luxúria de onde não desejavam sair. Ele não lhes queria fazer mal, não tinha soldados, não tinha poder material. Abraçara a causa dos fracos para ensinar aos fortes e utilizava apenas o amor, que exemplificou até o fim.

O amor extingue para sempre o império do orgulho e do egoísmo, liberando a pessoa para as experiências felizes, sendo auto-suficiente para conduzi-la à paz, tendo ou não os favores do mundo material.

Ele estimulou os relacionamentos humanos em outros moldes, exemplificou a não violência, orientando: “Pedro embainha a tua espada”, demonstrando-nos à afetividade, único caminho que pode nos levar aos bons sentimentos. Quando se compreende o outro como ele é, surge a compaixão, que por sua vez decretará para sempre o desaparecimento da indiferença, o maior crime contra o amor.

Renovar os posicionamentos íntimos é treinar os olhos para que permaneçam na direção da necessidade alheia. Que jamais possamos ser surpreendidos enregelados sem que o fluxo da caridade possa estar circulando em nossas almas, tão necessitadas de amar.

A EXCELÊNCIA DO AMOR É DAR SEM A NECESSIDADE DE RECEBER.

Adelvair David

2 comentários:

Patricia Alvarenga disse...

Certa vez um reporter disse a Madre Tereza de Calcutá:
- Eu não tenho coragem de dar um banho em um leproso por um milhão de dolares.Ela respondeu:
- Nem eu meu filho, porque so se pode dar um banho em um leproso atravez do amor.
Aprendamos a nos amar, a nos perdoar para depois conseguirmos ver o nosso proximo com os olhos do Cristo, cheios de compaixão de amor!!!!

Anônimo disse...

O amor essa essência divina existente dentro do ser humano, ainda necessita de muita lapidação para iluminar a si e aos que estão aos seus arredores.Sejamos fiéis aos ensinamentos do CRISTO e deixemos brilhar a luz que há dentro de cada um.Muita Paz a todos. Gislaine. Três Fronteiras SP