segunda-feira, 30 de março de 2009

JOGOS, BINGOS E RIFAS NA CASA ESPÍRITA?

ENTREVISTA COM RAUL TEIXEIRA, MÉDIUM E ORADOR - NITEROI - RIO DE JANEIRO.
JORNAL CORREIO ESPÍRITA ON LINE
O que você tem a dizer sobre os jogos, bingos e rifas nas casas espíritas?

Raul Teixeira - A casa espírita, sendo educandário básico da mente popular, não comporta nenhum tipo de jogo de azar nem de sorte. Ela deve ser o espaço para que seja feito aquilo que a Doutrina Espírita propõe. No dia em que a casa espírita se converter num espaço de jogos de qualquer teor, ainda que sob as justificativas as mais piedosas, em nome da caridade, terá se convertido num clube, numa área que não serve mais à causa de Cristo, mas aos interesses imediatistas dos indivíduos.
Os jogos são eminentemente do mundo e, obviamente, não se ajustam à proposta da casa espírita e muito menos à Doutrina Espírita. Com todo respeito àqueles que usam o espaço do centro espírita para fazer o que lhes dá na mente, o que lhes vem à cabeça, temos que dizer que eles estão ignorando a seriedade do compromisso espírita, atraiçoando a confiança com que os generosos Mentores do mundo os convidaram para o trabalho na fulgurante Seara Espírita.
Que a casa espírita tenha necessidade de recursos materiais para atender aos seus trabalhos materiais, não resta dúvida. Contudo, deveremos procurar operar no campo das coisas dignas, que não comprometam os princípios espíritas nem enxovalhem o nome de tantas almas que sofreram e choraram, que deram suas vidas e suas mortes, a fim de que hoje encontrássemos essa liberdade de ser espíritas, de afirmar alto e em bom som a nossa fé, em toda a parte.

REFLEXÕES

COMPETIR E COMPARTILHAR.
Competir em princípio é instinto; está na natureza dos seres. Aperfeiçoa as espécies, garantindo-lhes entre outros fatores a sobrevivência. No homem lhe aprimora as aptidões físicas e intelectuais, desenvolvendo-lhe capacidades latentes, conferindo-lhe coragem e determinação para superar os próprios limites.
Competir é apresentar o seu potencial, fruto dos seus esforços, estudo, trabalho e dedicação, e só é negativo quando se abandona esta idéia para ver no outro um oponente, um adversário, mais ainda, um rival.
O conceito de que aquele que ganha em qualquer modalidade ou atividade humana é o melhor, é errôneo; sempre existirá um que superará o outro; o ganhador apenas mostra que naquele momento estava mais bem preparado para o intento. Quem alcança primeiro assume grande responsabilidade; deveria estar ciente de que não é o melhor, mas sim o que pode oferecer mais, estando mais desenvolvido naquela proposta que os seus iguais; deve sempre estender as mãos auxiliando, compreendendo que, quem tem mais deve dar mais. Afinal, disse-nos o mestre e Senhor Jesus: “(...) muito se pedirá àquele que muito recebeu.”
Compartilhar é mais do que dividir, é disponibilizar o bem que se possui para quem pouco ou nada tem; é oferecer-se prestativo para ensinar, orientar, educar; sentimento contrário ao egoísmo; dá sentido à vida de quem tem para se tornar alguma coisa ou a única opção de quem carece ter.
Compartilhar jamais será o ato de submeter-se, mas sim de participar junto, colocando em comum os valores amealhados no processo de crescimento moral, intelectual e espiritual; é ser probo, consciencioso.
Se o que se possui está acondicionado em celeiros íntimos ou exteriores inúteis, ouçamos o conselho da parábola: “(...) néscio, para quem ficará o que amontoaste?”
A única forma de perpetuar o que se tem é dividindo, para que fique no coração de quem recebeu para sempre.
É PRECISO CONQUISTAR COM AMOR, PARA COMPARTILHAR LIVREMENTE.
Adelvair David

terça-feira, 24 de março de 2009

VAMOS ESTUDAR A DOUTRINA ESPÍRITA?

INICIAREMOS NO MARIA DOLORES O ESTUDO DE
"O LIVRO DOS ESPÍRITOS"
TEREMOS OPORTUNIDADE DE PARTICIPAR DE UM ESTUDO INTERATIVO;
ELUCIDAÇÕES ATRAVÉS DE IMAGENS;
APROFUNDAMENTO DOS ASSUNTOS ABORDADOS BUSCANDO SUA CORRESPONDÊNCIA NAS DEMAIS OBRAS DA CODIFICAÇÃO.
ESTUDEMOS O ESPIRITISMO, A LUZ PARA A NOSSA RAZÃO.
INÍCIO DIA 16 DE ABRIL DE 2009 às 20horas
Local: Grupo Espírita Beneficente Maria Dolores - Rua 19 nº 768, Bairro São Judas Tadeu - Jales - SP
informações pelo e-mail: addavid@ig.com.br

sábado, 14 de março de 2009

REFLEXÕES

MENOS CONFLITOS, MAIS AMOR.
Lutas íntimas, não há quem não as tenha...
Na programação da atual existência o espírito considerou a felicidade, propondo-se ser melhor; o conflito está na batalha travada entre o que se “é” com o que se deseja “ser”.
Todo conflito é degenerativo. Vai causar algum mal à pessoa, físico,moral, espiritual... Mina as possibilidades de êxito e o seu combustível é o sentimento negativo não modificado, não superado, em especial aquele proveniente das relações humanas mal sucedidas.
De maneira didática e não definitiva pode-se estabelecer três crivos para identificá-lo. “O mal que os outros nos fazem” – damos demasiada importância ao que de ruim recebemos dos outros? Melhor perdoar, vigiar o sentimento e vê-los com outros olhos, com misericórdia, lembrando que quem faz o mal já se infelicitou, permanecendo atormentado. “Desconfiar dos sentimentos dos outros” ­– cada “Ser” mede a vida pelos seus sentimentos, que jamais controlaremos; cabe-nos aceitar as pessoas como elas são; o dissimulado torna-se um problema para si mesmo, está adiando o seu crescimento e muitas vezes já experimenta o ardor do sol causticante no deserto que criou no seu próprio coração a rogar silenciosamente um pouco de refrigério. “Frustração e ingratidão” - só nos frustramos porque criamos expectativas em relação às pessoas, uma espécie de compensação, uma forma de completar nossa própria fraqueza esperando do outro o que ainda não buscamos para nós mesmos. É preciso lembrar que ninguém dá o que não tem. Melhor nos prepararmos para a vida conquistando por nós mesmos os recursos para a nossa Paz, assim, poderemos conviver com todos doando sem a necessidade absoluta de receber. Disse-nos o mestre e Senhor: “Ama o teu próximo (...)”
Somos vida em construção nos preparando para a verdade maior cuja conquista passará inevitavelmente pela convivência humana; pela necessária estrada das lágrimas ora de dor ora de gratidão; trocando a revolta que nos rebaixa pela humildade que nos dará a glória de sermos um dia, já neste mundo, mais ditosos através do aprendizado realizado e da consciência tranqüila pela ausência do mal; este já será página virada em nossas aspirações.
O evangelho de Jesus é roteiro seguro de elevação para uma vida com MENOS CONFLITOS e MAIS AMOR.

Adelvair David

quarta-feira, 11 de março de 2009

NÃO DEIXE DE ANOTAR

CURSO NO MARIA DOLORES.
NO MÊS DE ABRIL ESTAREMOS INICIANDO O CURSO SISTEMATIZADO DE DOUTRINA ESPÍRITA.
SERÁ NAS QUINTAS-FEIRAS AS 20 HORAS na Rua 19 nº 768, Bairro São Judas Tadeu, Jales-SP.Venha estudar Conosco a Doutrina codificada por Allan Kardec, o Consolador Prometido por Jesus.

segunda-feira, 2 de março de 2009

DELICIOSO JANTAR BENEFICENTE

ESTAMOS DE VOLTA!
O TRADICIONAL JANTAR NO MARIA DOLORES
SERÁ NO DIA 28 DE MARÇO AS 20h
Rua 19 nº 768, Bairro São Judas Tadeu - Jales,SP
Venha participar conosco, deliciosa comida e onde temos a oportunidade de jantar juntos e trocar uma boa conversa.
SEJA BEM VINDO ao nosso recanto de Paz!
ingressos à venda com os trabalhadores ou pelo fone 17-3632.9983 (Jane)

domingo, 1 de março de 2009

REFLEXÕES

A DINÂMICA DA EVOLUÇÃO.
Se como corpo a evolução se dá através dos complexos dispositivos biológicos, uma espécie de relativo automatismo, com o espírito o processo é diferente.
Este, inserido nas Leis da Natureza como artífice do seu próprio destino, movimenta-se em direção ao seu crescimento pelas próprias escolhas, construindo passo a passo tudo o que vai vivenciar; se aproveita a vida para o aprendizado com atos virtuosos e nobilitantes, cresce e se felicita; se prefere a ociosidade, a indiferença ou o descaso, perde tempo, estaciona e é aí que, através do sofrimento que lhe chega como conseqüência, experimenta privação e muitas vezes a falta do necessário, verdadeiros entraves á sua marcha e à sua paz.
Tendo como disciplinas obrigatórias na escola da vida a busca da moral e da intelectualidade, o homem se eleva da ignorância à angelitude, transpondo as barreiras da brutalidade para galgar os degraus da sensibilidade, fazendo brilhar a sua luz, deixando para trás a pedra bruta que foi lapidada. Disse o Senhor Jesus: “Brilhe a vossa luz”.
Enquanto o corpo vai evoluindo em função dos estímulos que lhe forçam a adaptação às realidades sempre novas, o espírito se aprimora pela ação do efeito das suas criações nas relações humanas, com o meio ambiente e com a vida em seu sentido maior que lhe circunda os passos.
Aqueles que são ou foram referências para a humanidade edificaram moral e conhecimento nestes e noutros tempos, através dos milênios que se sucederam; à custa de esforços e sacrifícios, situaram-se acima dos seus irmãos em capacidades; domando impulsos negativos permitiram acordar os seus potenciais divinos adormecidos, fazendo luz no caminho de todos.
Na dinâmica da evolução a escolha é um direito que Deus concede a sua criatura, mas que se negligenciado, a vida tem os seus próprios recursos para desafiar de uma forma ou de outra, nem sempre confortável, o Ser a evoluir.
Portanto, o sofrimento é sempre fruto de uma má escolha, que por ignorância foi tomada como melhor saída, e a felicidade o produto dos atos e intenções nobres que retornam em forma de paz.
EVOLUÇÃO É LUZ DE DENTRO PARA FORA.
Adelvair David