domingo, 14 de setembro de 2008

REFLEXÕES

A VIDA E A VERDADE
Por aquilo que é transitório, vale a pena o comprometimento?
Existem ações humanas que marcarão o espírito por tempos infindos.
Os prazeres efêmeros, respondem pela maior parte das amarras que guindam o Ser às expiações dolorosas e de grande curso, inviabilizando a felicidade e a Paz.
O poder, a possibilidade do dinheiro, o sexo fácil, a penetrabilidade social e outros interesses subalternos, não valem a vinculação criminosa e vil a que a criatura se permite, apenas pelo gosto de ocupar os lamentáveis pódios da ilusão; castelos que se constroem e ruem ante os efeitos das conseqüências dos atos a que todos estão submetidos.
Edificar uma vida com interesses voltados para a verdade, visando o crescimento ético-moral, deve ser a meta, razão onde a existência deve encontrar sentido. Todos nascem na Terra com objetivos relevantes, dentro das necessidades evolutivas de cada um, no aspecto moral e intelectual. Observar os critérios estabelecidos pela consciência, que adverte aconselhando em cada ação empreendida, é conquistar posição real, elevada, maior, de plenitude diante da vida, e não temporária.
Os convites para fazer o que não se deve, para os conchavos torpes, são ostensivos, porém de funestos desdobramentos. Tranqüilidade, conforto, bem-estar, são estados de alma daquele que optou pela verdade sem ceder aos impulsos convidativos e sedutores dos pigmeus morais.
Recomendou-nos Paulo: Seja o teu dizer sim, sim e não, não.
Segue considerando que a matéria é transitória. VIVA A VERDADE E VIVA EM PAZ.
Adelvair David

Um comentário:

Patrícia Ramos Alvarenga disse...

quando deixamos os prazeres da materia e optamos para o crescimento do espirito no ético e moral, nos sentimos tristes,deslocados, sozinhos, mas se a meta é para encontramos a verdadeira paz interior, vamos em busca dela..entendendo que o amor não é do jeito que queremos, mas sim do jeito que a vida nos proporciona..