terça-feira, 20 de maio de 2008

REFLEXÕES


TRABALHO

A vida é solidária.
Por todos os lados a natureza realiza o trabalho de promovê-la em infinitas formas.
No silêncio das madrugadas ou na agitação do dia, pode-se ver o movimento ininterrupto da vida a se manifestar, crescendo e renascendo por toda parte, sem que se possa detê-la.
É a plantinha que surge em meio à palha, o broto que nasce onde se imaginava mais nada existir. Ao levantar-se um tronco em decomposição, minúsculas criaturinhas em debandada anunciam que o trabalho de construção e destruição naturais atende ao impositivo da vida de tudo renovar seguindo em direção à harmonia e equilíbrio dos ciclos da natureza.
O bebê que chora, o ancião que dorme, demonstra o trabalho do espírito, num constante terminar e recomeçar, para que a jornada evolutiva não cesse, numa viagem sem fim para a eternidade. Neste trabalho de autoconstrução, o Ser, filho de Deus, ganhará as asas da sabedoria e as luzes da moral, alcançando a angelitude, não um estado de ociosidade, mas o de co-criador com o Pai, na sua obra universal.
Não existe tarefa maior ou menor, significante ou insignificante em se tratando de trabalho. Tudo concorre na natureza para o equilíbrio do projeto divino. O trabalho é uma Lei da Natureza, de Deus, para que tudo e todos se elevem através das próprias realizações, dos próprios esforços, é o princípio de justiça estabelecido nos ensinamentos do mestre Jesus, “a cada um segundo as suas obras”.
Na vida moral, o homem ao ocupar-se consigo mesmo ou com o outro, estimula em sua própria natureza o desenvolvimento dos seus potenciais divinos, ainda em germe, tornando-se cada vez mais capaz e apto a lidar com os desafios que vão surgindo no decorrer da sua vida, sente-se mais valoroso diante de si mesmo, da sua própria consciência.
Toda ocupação útil é um trabalho, seja ele físico, intelectual ou moral, do que sulca a terra ao que ensina, do que promove a paz ao que ora pelo bem dos semelhante, todos trabalham para a evolução comum atendendo aos planos de Deus, que nunca deixou de trabalhar, conforme nos disse Jesus, “o meu Pai trabalha até agora, e Eu também”.
Valorizar as tarefas exercidas no mundo é valorizar a própria vida. NÃO HAVERÁ PRAZER MAIOR QUE O DE SERVIR.
(Adelvair David)
EDUCADORES.
Somos todos naturalmente educadores.
Na troca que acontece no relacionamento humano, somos levados a oferecer e receber. Nesse intercâmbio somos influenciados e influenciamos aqueles que nos rodeiam ou que tem algum tipo de contato conosco.
Diz-nos o espírito Emmanuel: Jesus veio e ensinou. O método infalível que Ele apresentou ultrapassou as fronteiras do tempo e ainda permanece vigendo até hoje, apontando rumos e orientando a conduta... Ide e exemplificai.
Se quisermos educar temos que tomar cuidado com as contradições, porque oferecemos daquilo que somos na intimidade e não daquilo que falamos. Embora possamos responder as indagações da criança, o seu cérebro assimilará o conteúdo de acordo com a sua idade, porém, o seu espírito assimilará o que estiver nos nossos sentimentos e pensamentos, enriquecendo-lhe o patrimônio espiritual ou distorcendo-lhe o caráter em formação.
Existem pais que nunca desejaram serem pais, o são por acidente. Existem professores que nunca desejaram estar ensinando e existem religiosos ensinando o que nem eles mesmos acreditam. Se você não quer me ensinar, porque é que eu tenho que aprender? E neste contexto, como auxiliar o educando?
O adulto observa e experimenta o que lhe convém dentro dos seus valores morais, a criança confia o seu coração a quem lhe ensina, é a semente minúscula que esconde o germe do tronco.
Para o adulto a educação vai se renovando durante a vida, através das experiências e desafios, para a criança ela está começando e precisa de referência seguras, ela necessita de um abrigo moral, que aquele que ensina desfrute de uma vida de lutas para ser melhor.
Desamparar uma criança é condená-la ao desprezo de si mesma no futuro, pois que, se não aprendeu a valorizar a vida e as pessoas, não se valorizará.
Os discípulos confiaram os seus corações ao Mestre Jesus, que lhes ensinou a respeito do amor verdadeiro, educando-se para doar a própria vida. E nós, a quem estamos confiando os nossos corações?
As sementes da educação estão dentro de nós mesmos, é no templo íntimo que Deus deposita os recursos para serem compartilhados.
VOCÊ CRÊ NO AMOR? Então educa AMANDO.

Nenhum comentário: